01/03/13 - Franquias de livraria e frozen estão em baixa, diz pesquisa

 

Levantamento da consultoria Rizzo Franchise revela que os setores em alta são educação e treinamento, saúde e beleza, alimentação e vestuário

Neste ano, é preciso ter cautela na hora de investir em franquias de livrarias e frozen yogurt, de acordo com pesquisa anual realizada pela consultoria Rizzo Franchise. Educação e treinamento, saúde e beleza, alimentação e vestuário são os setores que estão em alta.

Marcus Rizzo, sócio da Rizzo Franchise, explica que o fato de muita gente fechar negócios deste tipo é um indicador. Segundo ele, as franquias de frozen yogurt têm ticket médio baixo e exigem de consumo elevado. Além disso, muitas estão instaladas em shoppings que não vão ter retorno e começam a quebrar.

No caso das livrarias, ele alerta para o efeito do crescimento dos livros eletrônicos nas franquias. "Elas começam a alterar o mix para produtos de mais conveniência, diminuindo o espaço do livro. Não quer dizer que o negócio vai acabar, mas é um alerta", diz Rizzo.

 

No ano passado, o mercado de franquias ganhou 162 novas empresas. O setor que liderou foi o de fast food, com 26 novos franqueadores, seguido do setor de saúde e beleza, que lançou 25 novas franquias em 2012, de acordo com a sondagem.

Ainda segundo o levantamento, foram inauguradas 10.631 novas unidades franqueadas no ano passado. Para Rizzo, o surgimento de mais redes de franquias com menos unidades pode ser ruim para o setor. “Aumenta desproporcionalmente o número de franqueadores e de franquias, que é o que chamamos de índice de produtividade", diz.

Este índice médio dos franqueadores passou de 79,1, em 2009, para 73,9, em 2013. "Ou seja, a quantidade de franquia média por franqueador vem baixando, o que significa que a gente produz novas franquias que não vão para frente”, explica Rizzo.

 

Fonte: Exame.com