21/02/13 - Sem chapa, grelha ou fritura, hamburgueria usa vapor para fazer até petit gateau em São Paulo

 

Depois de assistirem programa de culinária na TV à cabo, sócios investiram R$ 1 milhão inspirados em lanchonete dos EUA

Uma lanchonete sem batata frita, hamburguer passado na chapa, ou bacon e ovos estralados besuntados de óleo. Lançada em novembro de 2012, na Vapor Burguer & Beer, como o próprio nome sugere, tudo o que é quente e comestível é preparado à vapor. Do X-salada ao bolinho quente que com uma bola de sorvete tranforma-se em petit gateau, lá tudo é feito assim: à base de água em seu estado gasoso.

A ideia surgiu depois que os sócios Igor Puga e Domênico Massareto, que já dividem o comando de uma agência de publicidade em São Paulo há sete anos, concluíram que precisavam diversificar um pouco suas vidas profissionais. Tendo a gastronomia como um hobby, definiram que o mercado de alimentação, embora desconhecido, seria uma opção divertida. Como publicitários, buscavam apenas um novo apelo para agregar ao novo negócio antes de lançá-lo, o que poderia ser um posicionamento de marca ou mesmo um ponto comercial estratégico.

 

"A gente definiu que teria um negócio na área de alimentação e, para achar o algo mais, fomos um para cada lado atrás de uma ideia", conta Domênico. Alguns dias depois, o problema estava solucionado. Ao assistir um episódio do programa "Man V Food", que passa em um cana de TV por assinatura, Igor viu a técnica quase centenária da lanchonete Ted's Restaurant, de Connecticut, que em 1920 desenvolveu um hambúrguer cozido à vapor para os trabalhadores locais. A receita caiu no gosto dos clientes a tal ponto que, hoje, o lanche foi incorporado pela culinária regional e comercializado pelos concorrentes.

Igor e Domênico gostaram da ideia. Em viagem para Nova York, Igor foi até o Ted's Restaurant, provou o lanche e comprou versões do forno à vapor onde ele é preparado. De volta ao Brasil, convidaram o chef Breno Berdu para se integrar à sociedade, que nessa altura já contavam com um terceiro investidor, tendo como contrapartida a missão de desenvolver todo um cardápio de lanches, aperitivos e sobremesas à vapor.

"A gente decidiu ir além do que fazem os americanos de Connecticut. Pesquisamos as técnicas de culinária asiáticas e definimos que tudo em nossa lanchonete seria preparado à vapor", conta Domênico.

Com um investimento inicial de R$ 1 milhão eles lançaram em novembro o Vapor Burger & Beer, com 10 opções de lanches e acompanhamentos como bata assada servida com molho de cebola ou queijo. A casa também mantém um rótulo com 20 cervejas no catálogo, entre nacionais e importadas.

"Nossa expectativa é não pensar em retiradas antes de 48 meses. Os meses de novembro, dezembro, janeiro, fevereiro e julho são ruins para os nosso negócios e, por isso, não temos ainda como dimensionar o resultado da operação. Mas estamos muito animados com a procura de interessados em abrir franquia de nossa marca. É engraçado como certas coisas acontecem tão rápido", conta Domênico.

 

Fonte: Estadão