PARA ABRIR O APETITE DE QUEM QUER INVESTIR

 

A desenvolve SP, agência de fomento do governo paulista, diversifica seu rol de clientes e almeja emprestar quase meio bilhão de reais ao longo de 2013.

Por Alex Ricciardi

 

Ela ainda não é tão conhecida como gostaria de ser – mas isso será mudado. Surgida em 2009 como Nossa Caixa Desenvolvimento e rebatizada no ano passado de Desenvolve SP, a entidade fornece crédito para as pequenas e médias empresas (PMEs) e para os municípios do Estado. Aliás, cada vez mais crédito. “No ano passado emprestamos R$ 403 milhões, 70% mais do que em 2011. Neste ano queremos colocar mais de 480 milhões na economia paulista”, revelou em entrevista a FORBES Brasil Milton Luiz de Melo Santos, presidente do órgão. E para quais setores esse dinheiro deve preferencialmente ir? “Vamos seguir os passos de nosso controlador, que é o governo local. As Parcerias Púbicas Privadas (PPPs) em infraestrutura serão um dos pilares da atuação do estado de São Paulo em 2013, e nós estaremos presentes no processo”. Responde Melo Santos. A idéia, explica ele, é financiar companhias de menor porte que desejam fornecer equipamentos ou pessoal para obras em rodovias, ferrovias, aeroportos e demais instalações.

A agência, por outro lado, orgulha-se da diversidade de suas ações. Só ano passado, ela aportou R$ 32,3 milhões em PMEs paulistas fabricantes de cerâmica, por exemplo. A construção de um hotel em Piracicaba (SP) levou mais de R$ 30,6 milhões já foram emprestados desde março de 2010 para empresas dispostas a investir na redução da emissão de gases do efeito estufa.

Prefeituras também captam recursos com a entidade. “Estamos interessados, por exemplo, em ajudar municípios do interior a criarem condomínios lógicos. Apoiamos a construção das estruturas e depois as prefeituras nos pagam com o rendimento do aluguel dos galpões. A idéia é espalhar o desenvolvimento Estado afora”. Explica Melo Santos.

A Desenvolve SP nasceu a partir de um aporte de R$ 1 bilhão feito pelo governo paulista. O valor veio da venda da Nossa Caixa ao Banco do Brasil em 2009. Mas os empréstimos concedidos pela agência têm quais atrativos? “em especial, baixas taxas de juros e prazos longos de pagamento. Nós e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) temos esses diferenciais. Alias, também oferecemos linhas de crédito do BNDES a nossos clientes. Quando a linha do BNDES é mais vantajosa que a nossa, ela pode ser contratada por meio própria Desenvolve SP”, observa Melo Santos. “Também contamos com opções que não cobram juros, como é o caso de empréstimos que fazemos a empresas dispostas a investir no Vale do Ribeira, uma região relativamente pobre do Estado”. Tanto Movimento tem levado a agência a tornar-se cada vez mais conhecida em solo paulista – e esse é justamente um de seus objetivos. “Em 2012, sentimos que enfim os empreendedores deram conta da existência da entidade – a procura por nossos serviços aumentou fortemente. Isso é ótimo: queremos despertar o ‘espirito animal’ dos empresários do Estado, estimular o apetite deles por abrirem fábricas e criarem empregos”. Finaliza o executivo.