18/02/13 - Escândalo da carne de cavalo reduz consumo de refeições prontas

 

Uma pesquisa revelou que quase um terço dos adultos na Grã-Bretanha parou de comer refeições prontas como resultado do escândalo da carne de cavalo, enquanto 7% suspenderam o consumo de carne completamente.

O estudo “ComRes”, encomendado pelos jornais “Sunday Mirror” e “The Independent” mostrou que 31% desistiram de consumir refeições prontas com a descoberta de carne equina em produtos rotulada como carne bovina.

A pesquisa também constatou que 33% a 53% são a favor do banimento das importações de todos derivados de carne até ter certeza de sua origem. Cerca de 44% concordaram que o governo britânico tinha respondido bem à crise, enquanto 30% discordaram. Foram entrevistados 2.202 adultos de forma online na última quarta e quinta-feira.

 

Vinte e nove produtos com carne bovina entre 2.501 testados na Grã-Bretanha apresentavam mais que um por cento de carne de cavalo, segundo divulgou na sexta-feira a Agência de Padrões para Alimentos.

O escândalo tem levado governos a lutar para descobrir como e onde a rotulagem incorreta aconteceu na extensa cadeia de produção, que abrange um “labirinto” de abatedouros e fornecedores de carne na Europa.

“Precisamos restaurar a confiança do consumidor”, disse o vice-primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Nick Clegg. Ele acrescentou que está trabalhando com as autoridades europeias, com outros países europeus em um debate mais sistemático e com testes aleatórios.

O líder da oposição trabalhista, Ed Miliband, disse que a coalizão de governo foi lenta demais para “segurar” a situação.

 

Fonte: Valor Econômico