14/02/13 - Alimentação natural é tendência de negócio para 2013

 

Segundo consultor, mercado cresce de forma contínua nos últimos anos. Restaurantes vegetarianos atraem cada vez mais frequentadores

A alimentação saudável é uma das tendências de bons negócios para 2013. E as pequenas empresas estão investindo neste setor que cresce cada vez mais no país. O mercado oferece aos consumidores desde frutas especiais até restaurantes especializados em comida vegetariana e vegana.

O empresário Carlos Alexandre Ribeiro montou um delivery de frutas frescas. Elas são entregues em empresas que querem oferecer algo mais para os funcionários. Uma idéia comum na Europa e que começa a ser adotada no Brasil. Na empresa, as frutas passam por uma seleção rigorosa.

Os clientes são exigentes e fazem questão de frutas perfeitas. Depois de selecionadas, as frutas são lavadas e esterilizadas. Algumas são embaladas em saquinhos, outras, em potinhos.

“Dá muito trabalho! Não é um mercado para aventureiros! Você tem que se dedicar ao trabalho. A taxa de retorno também demora muito pra vir, mas é compensador”, diz o empresário.

O preço médio de uma cesta é de R$ 35. Para montar o delivery, o empresário investiu R$ 230 mil. A empresa entrega 100 cestas por dia, chegando a um total de cinco mil frutas. O delivery de frutas frescas tem mais de 50 clientes e fatura R$ 80 mil por mês.

 

“Nossa meta é de faturar pelo menos mais do que o dobro do que a gente está faturando hoje”, diz Ribeiro.

Há um ano, esta empresa é cliente do delivery de frutas. E todas as manhãs, as cestas chegam por aqui, atendem às necessidades dos funcionários.

“Pra gente é prático, as frutas já vem higienizadas, já vêm cortadas para o consumo imediato”, comenta Vanessa Perez, de uma empresa cliente do delivery de frutas.

A especialidade de um restaurante de São Paulo é a comida vegetariana e vegana, uma culinária sem produtos de origem animal. A empresária chilena Mylenne Signe, radicada no Brasil desde 1987, montou o espaço, há 10 anos, com investimento de R$ 300 mil. De lá para cá, a clientela só aumenta.

“Tem crescido muito, não é esse público alternativo que antigamente sempre se associava (...) agora é maior, assim tem quem não é vegetariano, quem aprecia, então está aumentando sempre”, revela Mylenne.

A empresária sempre cria receitas novas e cuida de tudo bem de perto. Ela comanda uma equipe com cerca de 10 funcionários. A cozinha não para, por conta da variedade de pratos. Um dos preferidos é a feijoada, feita sem gordura, nem carne de porco. A receita é feita à base de legumes e tofu, um queijo de soja.

A feijoada vegana é servida no buffet de sábado. “Olha, eu prefiro até do que a feijoada tradicional, porque eu não como carne, então eu não como a feijoada tradicional, mas eu gosto dessa”, afirma o cliente Rodrigo Freire.

O buffet ainda oferece outras opções saborosas, como lasanha de abóbora com frutas secas; torta de brócolis; e um prato indiano agridoce, a base de tomate, cravo e canela – pratos que atraem adeptos e apreciadores da culinária vegetariana.

“Não sou vegetariano, mas pelo menos uma ou duas talvez vezes por semana eu venho no restaurante, não necessariamente porque é vegetariano, mas porque a comida é boa”, comenta Alessandro Lahr.

Quatro mil clientes por mês, gastam, em média R$ 25 por refeição. O faturamento médio mensal gira em torno de R$ 100 mil. Para este ano, a meta da empresária Mylenne é investir numa segunda unidade.

“Tem muito campo, acho que o ideal seria ter vegetarianos em um quarteirão, vários lugares. Eu acho que isso seria o ideal”, fala a empresária.

Para o consultor Francisco Guglielme, o mercado de alimentação saudável está em crescimento e traz boas notícias para quem pretende investir. “É uma tendência e não é modismo, é um crescimento contínuo, vem se apresentando ano a ano como um mercado de crescimento contínuo”.

 

Fonte: G1