31/01/13 - Venda de vinho nacional cai 4% e a de espumante avança 12% em 2012

 

Desempenho geral do setor apresentou recuo de 3,59%, segundo Ibravin. Volume de vinho importado cresceu 2,53% no ano passado

O volume de vinho fino nacional comercializado no Brasil em 2012 caiu 4,01%, segundo levantamento divulgado nesta quarta-feira (30) do pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin). Segundo a entidade que representa os produtores brasileiros, foram vendidos no ano passado 18,7 milhões de litros ante ao total 19,5 milhões de litros em 2011.

No caso dos de mesa a queda foi ainda maior, 10,68%.

O volume de vinho importado, por sua vez, cresceu 2,53%, somando 79,5 milhões de litros. O Chile foi o principal fornecedor de vinhos para o Brasil, vendendo para o país um toal de 30,3 milhões de litros.

O destaque positivo no mercado interno foi a venda de espumantes, que avançou 12% em relação ao ano anterior, totalizando 14,7 milhões de litros de vendidos. Na média dos últimos cinco anos, a comercialização de espumantes acumula alta de 34%.

Também cresceu no ano passado a comercialização de suco de uva naturais prontos para consumo: alta de 17,5%, com 55,68 milhões de litros vendidos em 2012.

Segundo levantamento do Ibravin, desempenho geral do setor no ano passado apresentou pequeno recuo de 3,59% frente à 2011. O instituto contabilizou a venda de 361,6 milhões de litros de vinhos, espumantes, sucos e outras bebidas derivadas da uva no mercado interno.

Para os produtores, o resultado reflete o desempenho tímido apresentado pela economia nacional. “Para os espumantes e sucos tivemos um ano muito bom a exemplo dos períodos anteriores. Entretanto, 2012 foi um ano trancado para a economia não só do Brasil como de todo o mundo, e poucos setores tiveram resultados positivos”, afirmou, em nota, o presidente do Ibravin, Alceu Dalle Molle.

 

Para o Ibravin, as ações desenvolvidas no ano passado pelo setor junto ao governo e ao mercado, aliado à questões conjunturais, dá uma perspectiva promissora para 2013. "A determinação de aumento de 30% para 50% no percentual de suco natural inserido no néctar de uva, a proibição do uso de corantes tintos na elaboração de vinagres de álcool e a redução dos estoques proporcionada pelo Prêmio de Escoamento de Produção (PEP) realizado no final do ano passado pelo Governo Federal podem auxiliar o desempenho do setor", afirmou a entidade.

Acordo fechado em outubro entre representantes do setor vitivinícola brasileiro com as principais associações de importadores de vinhos prevê a ampliação para 25% da presença de vinhos finos brasileiros nas redes dos supermercados e para 15% nos demais estabelecimentos varejistas.

 

Fonte: G1