22/01/13 - Cervejeiros unidos para mudar as leis

 

Reunião marcada no Mapa discutirá dificuldades da produção de cerveja artesanal

Com o crescimento, no Brasil, do número de microcervejarias, da diversidade de receitas e do interesse do público por novos sabores, pequenos produtores têm cobrado mudanças na legislação atual sobre as fermentadas. A principal crítica é que ela não atende mais às necessidades do mercado. Por isso, representantes do setor cervejeiro têm reunião marcada, nos dias 5 e 6 de fevereiro, no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

 

O encontro deve debater mudanças nas regras de aprovação de novas cervejas – que obrigatoriamente devem receber registro do Mapa –, a partir de uma sugestão inicial de alterações feita pela pasta. E reunirá produtores artesanais, caseiros e outros profissionais ligados à bebida Marco Falcone, da Falke Bier, de Minas Gerais, que representará produtores e entidades do Estado disse que a proposta inicial do Mapa foi considerada “modesta”. O cervejeiro afirma que há três pontos principais a serem levados pelos produtores artesanais.

“O primeiro é a inclusão de produtos de origem animal, como mel e chocolate (pelo leite que contém) na lista de ingredientes permitidos para uso na cerveja. Hoje, uma chocolate stout inglesa pode ser vendida no Brasil e uma receita nacional, não.” Na lista de ingredientes em debate, estão também frutas, ervas e sementes. Outro item considerado primordial é a quantidade de malte mínima utilizada na cerveja para que ela possa receber essa denominação. Hoje, esse porcentual é de 55%. Os cervejeiros das micro querem que esse percentual aumente ou, ao menos, se mantenha.

Além da questão da atual classificação de cervejas. “Hoje temos, por exemplo, as divisões de cor ‘claro’ e ‘escuro’. Mas há muito mais complexidade na cerveja. Uma possibilidade seria usar como base para as novas definições o BJCP (Beer Judge Certification Program, nos EUA).”, diz Outra possibilidade é a utilização do guia de estilos da Brewers Association (BA), também norte-americana. Está na pauta também a regulamentação dos brewpubs e dos cervejeiros caseiros e o debate sobre a produção mensal máxima de uma cervejaria para ser considerada artesanal com propostas que vão de 200 mil litros a 500 mil litros.

Fonte: Paladar