03/01/13 - Consumo cresce e Nordeste vira destino de multinacionais

 

Estudo apontou alta de 62% nas vendas de suco e de 73% nas de extrato de tomate. No ano passado, a Coca-Cola anunciou ampliação de suas plantas industriais no Nordeste.

De olho no aumento do poder aquisitivo dos nordestinos, graças ao crescimento econômico dos últimos anos, as multinacionais estão expandindo as atividades na região para suprir a demanda local. Só no ano passado, Pepsico, Mondelez Brasil e Coca-Cola anunciaram ampliação de suas plantas industriais no Nordeste.

Segundo pesquisa da Nielsen, os investimentos na região criaram um novo cenário de consumo. "Há mais competitividade, qualificação de consumo e, consequentemente, expansão do varejo moderno", disse a analista de mercado da Nielsen Stephanie Biglia.

 

O estudo apontou que suco pronto teve um aumento de 62,6% no consumo no Nordeste no ano passado. Já o extrato de tomate registrou aumento nas vendas de 73,1%. Stephanie lembra que programas sociais do governo ajudaram a melhorar a renda na região, estimulando o consumo via maior renda. "A maioria das matrículas do Bolsa Família está lá."

Vale lembrar que a atividade econômica do Nordeste teve um aumento de 5,7% em 2011 em relação ao ano anterior. O número é expressivo quando comparado à variação do PIB brasileiro. O país registrou apenas 2,9% de aumento no mesmo período.

A Mondelez, por exemplo, se estabeleceu na cidade de Recife em 2006, com um escritório de vendas e foco no desenvolvimento das marcas Club Social, Sonho de Valsa, Tang e Fresh. Em maio de 2011, inaugurou a primeira fábrica no Nordeste, em Vitória de Santo Antão, zona da mata pernambucana. O investimento inicial foi de mais de R$ 100 milhões.

No ano passado, a Mondelez fez a primeira expansão na unidade, com mais R$ 50 milhões em investimentos, para fabricar biscoitos Club Social.

"O mercado nordestino vem crescendo a passos mais largos do que outras regiões do Brasil e a presença de um time focado no entendimento da dinâmica de consumo na região foi crítica para escolhas de planos de expansão e definiu o sucesso da iniciativa.

Marcas como Tang, Trident e tabletes Lacta são líderes de mercado em seus segmentos e lideram a presença em lares", disse a diretora associada de marketing Norte e Nordeste de Mondelez, Larissa Diniz.

Outra empresa que joga suas fichas na região é a Coca-Cola, que está investindo R$ 500 milhões na construção de uma fábrica de sucos no Nordeste. O município de Itabuna é o mais cotado para s operações, que devem começar apenas em 2014.

A Pepsico começou a produzir em julho deste ano achocolatado Toddynho na sua fábrica em Feira de Santana, na Bahia.

A planta no Nordeste recebeu investimento de R$ 30 milhões e a área de 10 mil metros quadrados, que antes fabricava apenas os achocolatados em pó Toddy e Mágico, será expandida para 16 mil metros quadrados.

De acordo com a empresa, "a estratégia de expansão dos negócios nas regiões Norte e Nordeste contou também com a implantação de um novo modelo de distribuição para atender aquele mercado e o planejamento regionalizado de marketing, adequado aos valores e cultura locais".

 

Fonte: Brasil Econômico