02/01/13 - 12 dicas de empresários como você para se dar bem nos negócios

 

Empresários de segmentos distintos dão conselhos para quem está começando uma empresa

Para empreender é necessário, acima de tudo, dedicação, calma e persistência. Esses requisitos se mostram como grandes recursos aos quais o pequeno empresário pode se apoiar parar gerir um negócio.

A máxima é seguida à risca pelo empresário Vagner Lefort, da Long Jump, empresa especializada na produção de bichos de pelúcia. Até seu empreendimento deslanchar, Lefort envolveu-se em mais de 30 negócios em diferentes ramos de atuação. “Nunca se deve tomar uma decisão nervoso. Tomar a decisão com o coração, com a emoção, não é bom. É preciso decidir com a razão", ensina.

A afirmativa é endossada por mais onze pequenos empresários que estão à frente de negócios bem sucedidos. O Estadão PME selecionou os conselhos de empresários de segmentos distintos para quem está começando um negócio. Confira:

Walter Mancini, do restaurante Famiglia Mancini. “Quando você cria um negócio, precisa perseguir o seu sonho, e não a moeda”, recomenda Mancini. “O dinheiro é consequência.” Aos 62 anos, ele vai aos restaurantes diariamente e ainda se emociona quando vê suas casas cheias. “Você tem que gostar do que faz”.

 

Pedro Chiamulera, da ClearSale. Priorizar as pessoas. Ao procurar entender quais são as motivações do funcionário e dar oportunidade para que ele exerça suas verdadeiras vocações dentro da empresa, a ClearSale conseguiu comprometê-lo com os resultados, melhorar sua performance e reter os talentos da empresa

Para Marcos Di Cunto, determinação não pode faltar para quem está começando. “Existem ciclos no negócio, momentos muito bons, outros nem tanto, e é preciso ter isso em mente. Se a ideia é montar uma empresa com sócios familiares, busque características complementares. Se todos que trabalham no negócio tiverem o mesmo foco, o resultado aparece”.

Antonio De Franco, da escola De Franco. Apostar na tradição e divulgá-la para o público como principal diferencial do empreendimento é fundamental para amealhar novos alunos para o curso de caligrafia. A estratégia é seguida diariamente por Antônio, atual administrador do negócio. Ele não deixa computadores à vista no prédio e faz questão de usar um tradicional guarda-pó de professor.

Cássio Piccolo, do Frangó. Para iniciar um negócio você deve saber até onde quer chegar com ele. Estreitar o foco ajuda a não perder a direção do que você está fazendo e nem os rumos do empreendimento. “Falar tudo para todos é falar nada para ninguém”, reforça o empresário. O importante é definir metas e seguir um planejamento para não ser surpreendido.

Para Marquinhos, da Mercearia São Pedro, não há sucesso sem interesse e vocação. “Quem quer começar um negócio com os pés no chão não deve esperar colher os frutos de saída. Pode não dar certo num primeiro momento. A gente começou pequeno, mas eu nunca tive dúvidas sobre a atividade. E é o que acontece em qualquer profissão: se você se dedica, uma hora dá certo.”

Trasso, do Acrópoles - Para abrir um restaurante, a pessoa precisa desenvolver uma experiência mínima no segmento. Antes de entrar no ramo, o empresário diz que já tinha trabalhado com o setor na Grécia. Seu Trasso ensina também que é preciso monitorar todas as áreas que permitem ao local funcionar bem durante todos os dias da semana.

 

Osvaldo Nunes, da Chocolândia - Quem quiser ter o próprio negócio deve entender que vai precisar dedicar parte da sua vida para fazer a empresa dar certo.

Aleksandar Mandic, da Mandic - Para o empresário, não há receita pronta para um negócio dar certo. O segredo está em não ter medo e fazer acontecer. “Dia desses alguém me disse que em três anos pretendia abrir um restaurante. Eu falei para essa pessoa que ela já estava quebrada. A melhor estratégia é não gastar tempo com excesso de planejamento e ir à luta”, afirma Mandic.

Semaan Halim Mouawad, da Semaan - A sugestão do empresário é não ter preguiça de trabalhar. E nada de ficar só atrás de uma mesa dando ordens. Semaan não fica trancado no escritório do Pari. Ele trabalha em uma mesa no meio da loja mesmo, orienta funcionários, atende clientes e resolve problemas. “No escritório eu não vejo se o pessoal está trabalhando, não vejo os clientes”, observa.

Vagner Lefor, da Long Jump - A dica do empresário para os empreendedores na hora de decidir é manter a calma. “Nunca se deve tomar uma decisão nervoso. Tomar a decisão com o coração, com a emoção, não é bom. É preciso decidir com a razão. Claro que pode usar o coração, mas nunca com a adrenalina alta”, recomenda Lefort, que vem mantendo a filosofia nos últimos anos.

Sebastião Rosa, da Imaginarium - Segundo o empreendedor, é fundamental fazer o que se gosta. “Eu era um bom médico, tive formação fora do País, mas não tinha arquitetura emocional para ser médico”, admite. Para Rosa, hoje as pessoas estão cada vez mais envolvidas com suas atribuições e, por isso mesmo, estar insatisfeito com o trabalho é ficar descontente com a própria vida.

Fonte: Estadão