16/11/12 - Aplicativo promete agilizar atendimento em restaurantes

 

Para a equipe da Unbound, desenvolvedora do aplicativo Tabber, o serviço além de favorecer os clientes, também favorece o garçom. O aplicativo deixa os garçons menos sobrecarregados para conseguir dar mais atenção às mesas que estão servindo

Enquanto aguardavam o garçom, os amigos Fábio Perez, Rogério Fachin, André Mancuzzo e Vinicius Perdigão mexiam em seus smartphones. Foi aí que surgiu a ideia de criar uma plataforma mobile que proporcionasse praticidade no atendimento. O Tabber, apelidado de "Garçom Virtual", nasceu em agosto de 2011 na cidade de São Paulo e virou negócio em janeiro deste ano.

Ricardo Da Ros e Pedro Da Ros foram chamados para se juntar aos sócios, com o objetivo de desenvolver o conceito do produto e criar o modelo de negócio. "A proposta do Tabber é ser uma plataforma pela qual o usuário tenha acesso a todos os restaurantes e bares disponíveis e que os restaurantes também tenham acesso aos usuários para fazer promoções e captar novos clientes", explica Ricardo Da Ros, diretor executivo da Unbound, empresa que desenvolve o Tabber. Ele define o negócio como sendo "quase uma rede social de comércio", na qual usuários e restaurantes podem interagir.

Os estabelecimentos

Para que o estabelecimento consiga instalar o software, deve ser feito um cadastro, que é gratuito, no site do Tabber. Depois disso, a equipe da Unbound entra em contato diretamente com o proprietário - o que deve ser automatizado no futuro.

Por meio do cadastro, o restaurante disponibilizará o cardápio no sistema e vai poder gerenciá-lo sempre que precisar.

Os clientes

O cliente também deve se cadastrar no site por meio do seu smartphone ou de um computador. Após o cadastro, será possível acessar o aplicativo no celular e localizar os estabelecimentos cadastrados, por ordem de proximidade. "Quando entrar em um estabelecimento, ele deve fazer um check-in, parecido com o que o Foursquare e outros aplicativos fazem. A diferença é que esse check-in está comunicando ao estabelecimento que ele chegou", esclarece Ricardo.

Graças a essa interação, o cliente pode, em qualquer momento, checar sua conta e saber o quanto gastou e o que pediu.

Procedimento padrão

Após ser comunicado da presença do cliente, o restaurante deve imprimir uma notificação com uma senha, que será necessária para liberar o cardápio e fazer os pedidos. O garçom identifica o cliente pelo número da mesa - informado ao fazer o check-in.

Para Ricardo, o serviço favorece tanto o cliente quanto os garçons. "Para o cliente, é muito mais prático pedir diretamente pelo smartphone do que ficar procurando um garçom que pode não estar disponível. Assim, também deixamos os garçons menos sobrecarregados, podendo dar mais atenção às mesas que estão servindo", afirma.

Assim como os cartões de crédito, é na transação de pagamento que a Unbound cobra uma taxa do estabelecimento. "É uma porcentagem sobre a conta, que deve girar em torno de 1,5% a 2%, podendo variar", diz Ricardo.

Há três meses, começaram o cadastramento de estabelecimentos testes. Hoje, há seis cadastrados e mais dois deverão ser cadastrados. "Estamos começando a fazer divulgações e vamos investir para conquistar novas adesões. Hoje, temos por volta de 600 a 700 usuários", explica o diretor-executivo.

 

 

Expansão ambiciosa

A cidade de São Paulo é o primeiro foco da fase de divulgação. Até o fim do ano, a ideia é expandir para outros estados e, até 2013, para os Estados Unidos. "Queremos entrar rápido no mercado norte-americano. Nossa empresa já está formalmente aberta nos EUA, mas ainda não funciona", diz Ricardo.

Todo o recurso para a criação da start-up saiu do bolso dos seis sócios, que investiram cerca de R$ 500 mil. Atualmente, eles estão buscando investidores.

Entre os planos da Unbound para o Tabber está o pagamento também pelo smartphone. "Quando a opção estiver liberada, é só clicar no botão 'fechar' que irão aparecer as opções cadastradas. Após a realização do pagamento, o cliente receberá um ticket de confirmação", explica Ricardo.

Fonte: Terra