19/10/2012 - Noites mais longas vão aumentar a demanda do mercado de bares

 

A partir do próximo domingo, 21, onze estados brasileiros, além do Distrito Federal, passarão a adotar o horário de verão. Com as noites mais longas e mais quentes, a perspectiva é de que os bares recebam mais clientes durante os happy hours no período de vigência do novo fuso, que se encerra em 17 de fevereiro de 2013.

"Como a noite chega mais tarde, as pessoas permanecem mais tempo nos bares. Elas ficam com mais tempo para conversar, e com isso a demanda é maior. Além disso, a chegada do calor abre a vontade de tomar algo a mais", explica o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Joaquim Saraiva de Almeida. O aumento de faturamento é explicado também pelo maior consumo de petiscos e lanches, que acompanha o consumo de bebidas no prolongamento das horas no bar. A tendência, segundo Saraiva, é de alta de 30% nos lucros dos bares.

Os lojistas, por sua vez, calculam um aumento de público nesse período de 10% a 15%. "Esse aumento é concentrado no happy hour e pode chegar a 25%", afirma o diretor do Bar Brahma, Cairê Aoas. Para o sócio do Exquisito, Eduardo Azevedo, a média de circulação durante esse período praticamente dobra. A perspectiva da Rede Birosca, porém, é mais modesta: os dias mais longos devem aumentar em 20% o movimento do bar. Segundo a dona do estabelecimento, o Brasil ainda não tem a cultura do happy hour estabelecida. "Mas nesse horário de verão melhora bastante", observa.

A inflação que tem sido registrada em altos níveis no setor neste ano também não deve frear o movimento dos clientes, que, segundo a Abrasel, tem sido repassada apenas em parte para os consumidores. Desde janeiro até setembro, o preço da cerveja vendida em estabelecimentos comerciais aumentou 8,4%, e as outras bebidas alcoólicas registraram alta de 4,9%. Na Região Metropolitana de São Paulo, porém, o aumento acumulado da cerveja foi de apenas 0,9%, e as demais bebidas não registraram crescimento. "Se tivermos qualquer outro aumento, esperamos a partir de janeiro", calcula Almeida.

Segundo o presidente da Abrasel, os bares que devem aproveitar mais a movimentação de verão são os que estão localizados mais próximos a centros comerciais. No caso de São Paulo, aqueles estabelecimentos localizados na região da Avenida Paulista, da Berrini e nos bairros Vila Olímpia, Itaim Bibi e centro devem ser os grandes privilegiados, afirma Joaquim Almeida, além da Vila Madalena, pela tradição.