03/10/12 - Cerveja artesanal amplia mercado

 

Polo de fabricantes em Juiz de Fora aumenta investimentos e alcança marca dos 25 mil litros por mês

As cervejas artesanais, que combinam o malte a outros ingredientes como mel, gengibre e demais especiarias, caem cada vez mais no gosto do consumidor e ampliam gradativamente sua participação no mercado. Prova do sucesso da bebida é o polo fabricante de cerveja artesanal de Juiz de Fora (Zona da Mata), que produz cerca de 25 mil litros da bebida mensalmente. A fim de atender ao constante aumento da demanda, os cervejeiros investem valores que variam de R$ 100 mil a R$ 1 milhão no aumento da produção.

As perspectivas para o setor na cidade são tão boas que, desde o ano passado, a regional no município do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de Minas Gerais (Sebrae-MG) desenvolve o projeto Cervejas e Chopes Artesanais de Juiz de Fora. A iniciativa reúne dez fabricações de micro e pequeno porte.

"Antes de começar os trabalhos, realizamos um estudo que evidenciou o potencial do setor na cidade. Entre nossos objetivos, está a formalização do fabricante, mas precisamos também educar o paladar do consumidor para diversificar as oportunidades", afirma o analista do Sebrae-MG, Marcelo Rother de Souza.

De acordo com ele, as cervejas artesanais no Brasil ainda absorvem uma fatia bem pequena do mercado, 0,5%. No entanto, Souza acrescenta que o país tem condições de chegar aos 6%, porcentagem já registrada em países, como os Estados Unidos. Contudo, para chegar lá, é necessário superar uma série de desafios. O que mais preocupa é a alta carga tributária, que chega aos 60%, e vale tanto para as microcervejarias quanto para as grandes indústrias.

Quem já superou parte dos obstáculos e prospera nos negócios é o proprietário da Arthorius, Arthur Fernandes Gouveia. Há seis anos, ele iniciou sua fabricação, na época de 20 litros mensais. Hoje, ele investe em torno de R$ 500 mil na construção de uma microcervejaria, com capacidade instalada para 20 mil litros por mês. "As obras devem ser concluídas em seis meses e as operações estão previstas para começar em julho. A expectativa é obter retorno do investimento em, no máximo, um ano", conta.

 

Para quem ainda pensa que todas as cervejas têm basicamente o mesmo gosto e que as diferenças se restringem às colorações, Gouveia oferece tantas opções, que eliminam de vez esse senso comum. A Arthorius apresenta oito variações: Weiss Bier (trigo); Pale Ale (frutada); Imperial Stout (escura); Belgian Tripel (com especiarias, mel e gengibre); Smoked Ale (com malte defumado); India Pale Ale (amarga); Red Ale (vermelha) e Irish Red Ale (irlandesa e mais doce).

O custo médio de uma garrafa de 600 ml varia de R$ 6 a R$ 16. O fabricante acrescenta que o leque de opções não deve parar de crescer, pois, assim que a nova fábrica começar a funcionar, a previsão é de que seis novos rótulos sejam introduzidos no mercado.

 

Fonte: Diário do Comércio - MG