24/09/12 - Mercado de serviços de alimentação tem espaço para crescer mais

 

Segundo dados da última pesquisa de orçamentos familiares, de 2010, 31,2% dos gastos com alimentação foram feitos fora de casa. Nos EUA e na Europa, esse percentual supera 50%.

É a partir dessa diferença que os empresários do setor tiram o potencial de crescimento do mercado brasileiro.

Jean Louis Gallego está no ramo desde os anos 80 e diz que o mercado brasileiro passa por franca expansão. A empresa em que atua, a FSB Foods, faz bolinhos e pães para redes de lanchonete e restaurantes.

"Há dez anos, a maioria dos restaurantes não sabia sequer o custo unitário do prato", afirma. "O mercado tem muito a crescer. E não só para os que servem alimentos, mas também para os que preparam."

Segundo estimativa do consultor Enzo Donna, da ECD, o número de refeições diárias preparadas no país deve subir dos atuais 62 milhões para 70 milhões em 2014, ano da Copa do Mundo no Brasil.

"Se esse número fosse hoje, sofreríamos um colapso gastronômico. Não temos distribuidores, mão de obra, nem fornecedores", diz.

 

Fonte: Folha de S. Paulo