28/08/12 - Custo de bebidas sofre elevação

 

Prévia do IPCA indicou que beber fora de casa está ficando mais caro. Encarecimento dos serviços aumenta preço nos cardápios

Beber fora de casa, ainda que a opção não contenha álcool, está mais caro. O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) revelou que o preço do refrigerante e da água mineral em bares e restaurantes tem puxado a inflação. A prévia do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) mostra que esses produtos ficaram 1,84% mais caros nos primeiros quinze dias de agosto. O acumulado de 12 meses é de 9,99%.

A Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) nega que o setor tenha reajustado os cardápios. O consumidor, no entanto, reclama dos valores. “Nos restaurantes e baladas, os preços estão um absurdo. Outro dia paguei R$ 5 em um refrigerante”, conta a manicure Thais Figueiredo, 27 anos.

 

O administrador de empresas Rodrigo Paijzos, 34 anos, acredita que a “culpa” é do calor. “A cerveja aumentou. Meu amigo que tem um bar reajusta o preço quando o clima está mais quente”, diz.

O IBGE também destacou a cerveja como um dos vilões da inflação na prévia do IPCA. A bebida teve alta de 1,76%, ante 1,21% no levantamento de julho.

Fábio Romão, economista da Consultoria LCA, explica que o preço dos produtos fora de casa tem pouco a ver com o custo do produto em si. “No valor, está incorporado uma série de coisas, como custo com aluguel e mão de obra. E esses aspectos, todos ligados a serviços, subiram mais que a inflação”, diz. “É o que ocorre com o aquecimento da economia”.

 

Fonte: Band