02/08/12 - Fast-food aposta em franquia de salgadinho de R$ 200 mil

 

Nova rede do grupo Habib’s, o Box 30 aposta em lojas menores e na venda de salgadinhos

Uma parada rápida em um bar ou lanchonete para comer um salgadinho é um hábito típico brasileiro - mas até agora esse filão tem sido pouco explorado no sistema de franquias. Alberto Saraiva, presidente do grupo Habib's, que inclui também a rede Ragazzo, aposta na venda de comidinhas no balcão, e em grandes quantidades, para a terceira marca grupo, o Box 30. Além de buscar um produto diferenciado, se propõe a ser mais acessível ao investidor.

"O que nos procuramos na hora de desenvolver o Box 30 foi ter uma unidade que ocupasse uma área bem menor do que um Habib's ou um Ragazzo, com um investimento proporcionalmente menor", explica João Penna, diretor de franquias do grupo. A operação simples somada à ideia de lojas menores - entre 20 m² e 50 m² - , e ao investimento mais barato - entre R$ 200 mil e R$ 400 mil -, pretende acelerar a expansão da nova rede, que planeja inaugurar 10 novas lojas até o final do ano.

"Criamos um piloto no bairro do Jabaquara, em São Paulo, no final de 2010. Foram feitas diversas alterações para já termos um conceito mais ou menos definido, e que agora começou a ser multiplicado", conta João. Além da loja-piloto, o Box 30 conta com uma unidade em Santos (SP), e três unidades franqueadas em fase de instalação. "Hoje, temos em funcionamento duas lojas, estamos inaugurando mais uma e, no mês que vem, vamos inaugurar outras duas operações", conta João.

 

Depois da esfirra, o mandiobox

As marcas do grupo têm sempre um produto como carro-chefe - são as esfirras e os ragazzones, nas duas redes mais antigas. Com o Box 30 não é diferente. Para a nova operação, o grupo desenvolveu e testou uma série de receitas que deram origem ao mandiobox, um bolinho feito de mandioca, com recheios variados, que é vendidos a R$ 0,49 cada. O mandiobox de carne louca é o mais vendido entre os 30 tipos de salgados oferecidos. O cardápio inclui ainda itens tradicionais, como a coxinha, a polenta frita e o bolinho de bacalhau.

Embora os salgados sejam vendidos por unidade, a intenção da marca é favorecer a compra em quantidade - daí o nome escolhido para a lanchonete. O principal slogan da rede é o "compre 30 e leve 60" e João afirma que a "promoção" não tem data para acabar. "Ela vai durar para sempre, é um dos conceitos da loja. Não impomos um número mínimo para o cliente, mas quem compra 30 ou mais unidades leva o dobro", explica. Segundo ele, atualmente essa é a opção mais pedida pelos consumidores, principalmente no final do dia. "Levam para casa, para o escritório e para o happy hour. Essa tem se mostrado uma decisão acertada da rede", afirma João.

Além dos salgados, a rede inclui outras opções no cardápio. "O que não tinha no começo, e que está desenvolvendo muito bem, é a linha para almoço, com massas, saladas e grelhados", diz João. O mais pedido nessa categoria é o nhoque, que sai por R$ 4,90.

 

Rede de franquias

Com duas lojas próprias no estado de São Paulo, e o lançamento previsto de unidades no Rio de Janeiro e em Santa Catarina, a rede apresenta um projeto ousado de expansão. "Queremos expandir no País todo. Como o produto é congelado, e já efetuamos esse tipo de operação de enviar os produtos para nossas lojas, então basta acrescentar os salgados na operação", justifica João.

Por ocupar espaços menores, o modelo do Box 30 permite que o franqueado tenha mais de uma operação. "Em dois bairros próximos, o franqueado poder abrir duas ou três lojas", aconselha João. Para investir no negócio, o grupo busca empresários que participem da operação. "Ele tem que ter um perfil de operador, ter capacidade financeira para investir e gostar, para poder ficar à frente e ter aquela vontade de ver o negócio prosperar", afirma João.

O lucro líquido médio de uma unidade pode chegar aos 20% e o grupo já estuda outros formatos. "Estamos criando alguns modelos", relata João. A loja a ser aberta na Avenida Helio Pelegrino, em São Paulo, está localizada em um posto de gasolina. Por isso, terá a operação regular do Box 30 mais uma área de produtos de conveniência. "Essa loja terá o perfil um pouco diferente das outras e vamos analisar o potencial desse tipo de negócio", explica.

 

Box 30 em números

Setor: alimentação

Resumo do negócio: rede de fast-food de salgadinhos e refeições rápidas

Número de unidades: 2

Unidades próprias: 2

Unidades franqueadas: 3 (em processo de abertura)

Faturamento médio mensal: R$ 150 mil

Taxa de franquia cobrada : R$ 45 mil

Taxa de royalties: 4%

Taxa de propaganda: 5%

Capital necessário para instalação: a partir de R$ 300 mil

Capital de giro : R$ 20 mil

Prazo de retorno estimado: de 24 a 36 meses

Principais concorrentes: redes de fast-food e pequenos comércios do ramo

 

Fonte: Terra