Projeto Cozinha e Voz é parceria entre o Ministério Público do Trabalho com diversas organizações, incluindo a Abrasel no estado



alt

"Um recomeço”. Com essas palavras e olhos marejados, D.M., 58 anos, planeja redirecionar o percurso de sua vida após quase quatro anos de encarceramento, entre os regimes aberto e semiaberto. No retorno para casa, mais uma ruptura: o casamento de 41 anos, marcado por sucessivos atos de violência de um marido que bebia muito.

Assim como D.M., outras mulheres com experiências semelhantes iniciaram na última segunda-feira (12), em Campo Grande, a participação no projeto Cozinha e Voz. A iniciativa beneficia 10 mulheres vítimas de violência doméstica e 10 que cumprem pena no regime semiaberto. A Projeto é realizado em uma parceria entre o Ministério Público do Trabalho, a Organização Internacional do Trabalho, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, o Senac Gastronomia e Turismo e a Abrasel no estado.

A formação em assistente de cozinha contempla duas etapas: uma oficina em que as participantes desenvolvem a expressão oral, por meio da poesia, e um módulo com aptidões básicas do trabalho em uma cozinha de restaurante, qualificando-as para ingressarem no mercado ou apostarem no empreendedorismo. O curso será ministrado pela chef do Senac, Míriam Arazini, com a participação de Paola Carosella, uma das juradas do Show de Talentos MasterChef Brasil. A atriz Elisa Lucinda, conhecida nacionalmente por seus trabalhos em novelas e no cinema, também estará na ação social.

“Essa é a primeira edição do Cozinha e Voz voltada para mulheres em situação de violência doméstica, em cárcere e egressas do sistema prisional. Compreender as dificuldades que elas enfrentam, seja por razões de preconceito ou impedimento de manter o vínculo trabalhista, e fornecer instrumentos para que consigam retomar a autoconfiança e reinserir no mercado é uma preocupação constante do Ministério Público do Trabalho”, destacou a procuradora Valdirene Silva de Assis, representante nacional da Coordenadoria Nacional de Promoção de Igualdade de Oportunidades e Eliminação da Discriminação no Trabalho (Coordigualdade).

No dia 20, Paola Carosella apresentará a proposta a empresários de Mato Grosso do Sul. Já ao final do curso, no dia 28 de novembro, haverá um evento de formatura e todas as participantes receberão certificado. A Abrasel se comprometeu em oportunizar emprego para essas mulheres em condição de exclusão do mercado formal de trabalho.

Na abertura do curso, falaram Roberta Ávalos, gerente da unidade Senac Gastronomia, o orientador técnico Roberto Escudeiro, além da professora de expressão Geovana Pires. Compuseram também a mesa a coordenadora pedagógica Fátima Torres; Anne Mendes, da Coordenadoria da Mulher do Tribunal de Justiça, e uma colaboradora do Senac. Além do curso, o Senac vai oferecer um estágio no restaurante-escola Terradaságuas para as quatro alunas com melhor desempenho durante o Cozinha e Voz.

Por onde passou

O projeto Cozinha e Voz nasceu em São Paulo, onde já foram realizadas duas edições. Na capital paulista, o programa do curso assistente de cozinha foi elaborado pela chef de cozinha e empresária Paola Carosella, em parceria com o Grupo Educacional Hotec. A primeira versão foi capaz de incluir 70% dos alunos no mercado de trabalho. Em Goiás, o viés do Projeto Cozinha e Voz é a Empregabilidade Trans. Trinta e cinco homens e mulheres transexuais e travestis foram selecionados para participar da iniciativa.

No Rio de Janeiro e no Pará já foram ofertados cursos nos mesmos moldes também voltados para mulheres e homens transexuais e travestis. Já na Bahia, foi ministrada a mesma capacitação na comunidade Calabar, em Salvador, um dos bairros carentes da capital baiana, culminando na entrega de uma cozinha industrial para a realização de futuras qualificações e geração de renda.



*Com informações do MPT-MS