Manu recebe o prêmio da edição 2018 do 50 Best regional, que pela primeira vez contempla uma casa na região Sul do País



altO restaurante latino-americano mais promissor da temporada fica no Brasil. Mais especificamente, em Curitiba. Acaba de ser anunciado que o Manu, da chef Manu Buffara, recebeu o prêmio “One to Watch” do 50 Best América Latina. O ranking, que chega à sua sexta edição regional este ano, revelará a lista dos 50 melhores restaurantes no próximo dia 30, em Bogotá, quando a chef paranaense receberá a homenagem pessoalmente.

Paranaense de Maringá e filha de fazendeiro, Manoella Buffara cresceu no campo, se formou em jornalismo, estudou gastronomia na Itália (onde viu de perto a cozinha baseada no culto ao ingrediente) e estagiou em restaurantes pelo mundo - destaque para o célebre Noma, em Copenhague, e o Alinea, em Chicago - até abrir o Manu, em 2011. O respeito ao produto e a valorização do produtor viraram a filosofia de sua cozinha. O restaurante, que trabalha apenas com menu-degustação, dá prioridade para ingredientes locais e artesanais. Manu está diretamente ligada a seus fornecedores e os nomeia por nome e região no cardápio. Gosta de deixar claro que os restaurantes participam da cadeia produtiva da comida. Em conversa com o Paladar, a chef diz ver com o prêmio como uma oportunidade de dar mais voz para seu discurso: "é possível educar as pessoas através da alimentação". Manu participa ativamente de um projeto de hortas urbanas em Curitiba - nele, orienta os produtores que tiram das 85 hortas espalhadas pela cidade o sustento para suas famílias e ainda abastecem o restaurante.

Segundo ela, o prêmio também vem para divulgar a riqueza gastronômica de seu estado: "o Brasil não é só a Amazônia, temos diversas riquezas, como a nossa Mata Atlântica. Queremos mostrar de onde viemos, quem é o Sul, e não só o Paraná, mas também Santa Catarina, e assim abrir a porta para novos chefs e produtos que temos aqui."

50 Best América Latina

Esse é o terceiro prêmio da temporada a ser anunciado: a peruana Pía León, do Central e do Kjolle, foi eleita a melhor chef mulher da América Latina e os mexicanos Maria Elena Lugo Zermeño e Gerardo Vázquez, mãe e filho, foram homenageados pelo conjunto de sua obra. É a primeira vez que um restaurante do Sul do País recebe o prêmio de “mais promissor” - mas não é a primeira vez o 50 Best direciona os olhos do mundo para uma casa fora do eixo Rio-São Paulo. Em 2013, o Remanso do Bosque, em Belém do Pará, tocados pelos irmãos Thiago e Felipe Castanho, foi indicado como o restaurante com maior potencial. No ano passado a honraria ficou com o carioca Oro, do chef Felipe Bronze.

Fonte: Estadão