De janeiro a agosto deste ano, casos aumentaram em cerca de 9%; na quinta-feira, cozinheiro foi assassinado no Rio Comprido

Uma perigosa rotina que tem afetado a boemia carioca são os assaltos a bares e restaurantes. O total de roubos a estabelecimentos comerciais de janeiro a agosto deste ano foi 2.351, 9% acima dos números registrados no mesmo período do ano passado (2.156), de acordo com o Instituto de Segurança Pública (ISP). Na noite de quarta-feira, o chef de cozinha Francisco Vilamar Peres, de 49 anos, morreu após ser baleado no rosto num bar do Rio Comprido, quando tentou impedir que o celular de seu filho fosse levado por um ladrão. A insegurança fez com que, só na semana passada, o bar Madrid, que fica na Rua Almirante Galvão, na Tijuca, tenha sido alvo de criminosos no sábado e no domingo. A exemplo de outros proprietários da noite, a medida encontrada para tentar reduzir os prejuízos foi contratar um serviço de segurança privada.

Depois de saírem com cerca de 40 celulares, além de alianças e relógios de clientes e funcionários do Madrid, os bandidos ainda atacaram outro bar, que também fica na rua. Segundo o dono da casa, Joaquim Ferreira, eram os mesmos assaltantes. Na madrugada de 2 de março, o bar Belmonte do Flamengo foi invadido por criminosos armados, que levaram celulares e carteiras de clientes e atendentes. Dias depois, de manhã, bandidos renderam funcionários do Balada Mix, no Leblon, e levaram R$ 575 do caixa. Por nota, a PM informou que os batalhões das áreas envolvidas (2º, 6º e 23º) intensificaram o patrulhamento e alegou que a subnotificação prejudica a atualização dos indicadores e a a elaboração do mapa da mancha criminal que orienta o policiamento.

Fonte: O Globo