Para Raphael Daddab, presidente da Abrasel em Santa Catarina, regulamentação é essencial em uma cidade turística

alt

A Lei Complementar aprovada na última quarta-feira (12) pela Câmara de Vereadores de Florianópolis, que estimula o uso de mesas e cadeiras nas calçadas da Capital pelos estabelecimentos, deixará a cidade mais viva e segura. A opinião é de Raphael Dabdab, presidente da Abrasel em Santa Catarina, que comemora o texto de autoria do vereador Bruno Souza. “É essencial em uma cidade turística, lembrando que a prática é defendida também por especialistas em segurança pública”, afirma.

Atualmente, uma mesa ao ar livre tem o custo mensal de R$ 74 ao comerciante e, de acordo com o texto, a taxa será de R$ 76 por ano, e somente a partir da quinta mesa. "Em alguns bairros, o metro quadrado da calçada é mais caro que o metro quadrado do imóvel", diz Dabdab.

Na semana que vem, outro projeto que estimula o uso dos espaços públicos será votado: a mudança do espaço mínimo para uso de mesas e cadeiras, de cinco metros para dois metros e um e um metro, conforme o horário e o dia da semana. Segundo um estudo apresentado no projeto 1.672, comparando cidades com a mesma população, IDH e proximidade geográfica, Florianópolis uma das poucas que cobram e, além disso, tem o valor mais alto.

*Com informações do jornal Notícias do Dia