18/07/12 - Exportação de cachaça para os Estados Unidos sobe 12,6% em 6 meses

 

Sinônimo de Brasil para os norte-americanos, a cachaça foi exportada para os Estados Unidos, durante o primeiro semestre deste ano, em volume 12,6% superior ao total embarcado no mesmo período de 2012, de acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Entretanto, de uma capacidade produtiva de 1,2 bilhão de litros no País, menos de 1% da bebida "genuinamente brasileira" - como classificou o presidente dos EUA, Barack Obama - é exportado anualmente.

O aumento das exportações à América do Norte está ligado justamente ao reconhecimento da pinga como um produto genuíno. Até abril de 2012, a bebida era considerada um tipo brasileiro de rum (brazilian rum) - já que o rum também é feito de cana-de-açúcar - pelos estadunidenses.

"Em princípio, a mudança é importante para evitar que a cachaça se torne mais uma bebida destilada genérica, como a vodca", declarou o presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Cachaça, Vicente Bastos Ribeiro.

Ligado ao Mapa, o fórum consultivo considera a mudança de rótulo um indicativo de que esse mercado irá crescer, em relações exteriores, ao longo dos próximos dois anos.

 

Em 2011, cerca de noventa destilarias brasileiras embarcaram 9,8 milhões de litros de cachaça para o exterior, gerando receita de US$ 17,3 milhões.Deste volume, 10% foram vendidos para os Estados Unidos.

O produto é exportado para mais de 60 países. Entre os principais mercados de destino estão Alemanha, Estados Unidos, Portugal e França.

Desde 1536

Com base em dados do setor de bebidas, o Mapa registra que a mais brasileira de todas as bebidas é o terceiro maior destilado do mundo, atrás da vodca e do soju (destilado feito de arroz, originário da Coreia).

A primeira cachaça foi fabricada oficialmente de 1536. A produção está concentrada em empresas familiares, regionais, e muitas de pequeno porte. Estima-se que existam mais de 30 mil produtores e 4 mil marcas de cachaça no Brasil. As microempresas correspondem a 99% do total de produtores. Suas atividades agropecuárias incluem a produção de milho, feijão, café, e leite, entre outras, e a produção de cachaça.

 

Depois da cerveja, a cachaça é a segunda bebida alcoólica mais consumida. São Paulo é o maior produtor de cachaça industrial. Minas Gerais é o estado mais especializado na produção de cachaça artesanal. O setor da cachaça é responsável pela geração de mais de 600 mil empregos diretos e indiretos.

A cachaça ainda é usada na tradicional caipirinha, que virou marca do Brasil no exterior.

Veículo: DCI