A Abrasel no estado projeta um incremento de 15% no setor no período da competição.


No país do futebol, a Copa do Mundo sempre gera um entusiasmo entre os apaixonados e, consequentemente, injeta um ânimo na economia, trazendo uma boa perspectiva para o comércio brasileiro, independentemente do quão distante do Brasil a principal competição da modalidade acontece. O Mundial da Rússia deste ano, que ocorre entre 14 de junho e 15 de julho, promete gerar um impacto positivo de R$ 1,51 bilhão no faturamento do comércio varejista do país, uma alta de 7,9% em relação ao evento de 2014, segundo dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Em Pernambuco, a mesma pesquisa revela que a estimativa de movimentação no comércio local é de R$ 27,8 milhões. Já a Abrasel no estado projeta um incremento de 15% no setor no período da competição.

Os empresários se mostram otimistas em segmentos que lucram com o consumo sazonal de produtos e que estão diretamente ligados ao evento, como souvenirs (80%), comércio informal (72%), bares e restaurantes (68%), supermercados (66%), comércio eletrônico (57%) e transporte (51%), de acordo com pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Além disso, 29% dos entrevistados acreditam que o aumento das vendas do próprio negócio vai depender do desempenho da seleção brasileira. “Os brasileiros ficaram desconfiados com a seleção na última Copa por conta do desempenho e o comércio vai se beneficiar mais se a equipe for ganhando e avançando. Os bares e restaurantes vão garantir mais movimento e quem no comércio tiver produto, vai continuar vendendo. Isso vai ajudar no movimento de junho”, conta Eduardo Catão, diretor administrativo-financeiro da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL Recife).

Os comerciantes já estão se preparando para atender ao aumento da demanda no período da Copa do Mundo e para 10% dos empresários existe a intenção de contratar mais funcionários, segundo dados da SPC Brasil e CNDL. “O otimismo é natural com a competição e as pessoas sempre vão para bares e restaurantes, que souberam se equipar e a temática do futebol sempre ajuda no faturamento, é um entretenimento de valor. E a questão do emprego rebate no reforço do atendimento e da retaguarda”, afirma André Araújo, presidente da Abrasel em Pernambuco. As promoções são consideradas apostas para incrementar as vendas e 42% dos entrevisados pretendem atrair o público desta forma. “Apesar de as pessoas ainda estarem com dificuldades financeiras e a economia não ter deslanchado, os bares e restaurantes apostam em promoções para garantir o movimento”, completa.

Os horários dos jogos do Brasil na primeira fase da competição, às 9h e às 15h, não devem atrapalhar a movimentação. “As expectativas para os setores que vão ser impactadas são positivas, como eletroeletrônicos, vestuário e calçados. As pessoas gostam de comprar uma televisão nova neste período, uma roupa que tenha relação com a seleção. E essa preparação é feita com antecedência, as pessoas tendem a se preparar antes. O setor de alimentação e bebida também será impactado positivamente. A projeção de faturamento é muito boa porque mostra que estamos saindo de um cenário econômico complicado e sinaliza que as pessoas estão voltando a consumir”, conclui Rafael Ramos, economista da Fecomércio-PE.

Fonte: Diário de Pernambuco