Considerando-se os últimos 12 meses, o crescimento geral de franquias foi de 7%

O franchising brasileiro mantém sua trajetória de recuperação gradual frente a um cenário com demanda irregular e incertezas no campo político. No primeiro trimestre deste ano, a receita do setor registrou um crescimento nominal de 5,1% em relação ao mesmo período de 2017. O faturamento passou de R$ 36,890 bilhões para R$ 38,762 bilhões. Considerando-se os últimos 12 meses, o crescimento foi de 7% (variação de R$ 154,426 bilhões para R$ 165,190 bilhões). É o que revela a Pesquisa Trimestral de Desempenho do setor realizada pela ABF – Associação Brasileira de Franchising.

“Frente ao atual cenário da economia brasileira, consideramos este desempenho positivo, pois foi registrado em um período de inflação muito baixa – ao contrário do primeiro trimestre de 2017 – e de início da recuperação de uma das mais longas crises que o País já viveu. O franchising continua a investir na eficiência de suas operações, no desenvolvimento de formatos mais enxutos e na busca de novos mercados, canais de venda e públicos como forma de manter seu desenvolvimento. A inovação, especialmente a incremental, também tem um papel importante e tende a se fazer mais presente nos próximos anos”, afirma Altino Cristofoletti Junior, presidente da ABF. 

Quanto ao movimento de abertura e fechamento de lojas no 1º trimestre de 2018, o estudo apontou uma variação positiva de 1,0% em relação ao mesmo período anterior, já que foram abertas 2,2% dessas unidades e houve o fechamento de 1,2% delas. São registradas atualmente 144.527 unidades de franquias no País. “Como nota-se em uma pesquisa específica, os franqueados multiunidades têm desempenhado um papel cada vez mais importante no franchising brasileiro e contribuíram para esta expansão no trimestre também. É um sinal da maturidade do mercado de franquias nacional que formou um empreendedor mais capacitado e preparado para arcar com mais responsabilidades, seja assumindo uma loja em dificuldade, ou desbravando novas regiões e mercados”, afirma Altino Cristofoletti Junior. 

Setor AFL

Destaque ainda para os segmentos de Alimentação Fora do Lar, com um crescimento de 6,6%, semelhante ao registrado no mesmo período do ano passado. Um dos mais tradicionais segmentos do franchising, a alimentação vem apresentando um aumento de receita em ritmo constante, em virtude, principalmente, do aprofundamento do hábito de se alimentar fora de casa, do reconhecimento de suas marcas e das constantes ações de comunicação para atrair o consumidor. 

Fonte: ABF