Entidade prepara contraproposta ao reajuste, que será levada ao prefeito Roberto Cláudio (PDT) na próxima semana

A Abrasel no Ceará elaborou um estudo para mensurar o impacto do reajuste das taxas para alvará de funcionamento e registro sanitário em Fortaleza. A alta média para a somatória de ambas, que passam a ser cobradas anualmente, é de 1.355%. O índice chega a 3.250% se considerado o alvará de funcionamento para estabelecimentos de médio e grande porte.

Conforme Taiene Righetto, diretor-executivo da entidade no estado, os dados serão apresentados ao prefeito Roberto Cláudio em reunião na próxima semana. Também será levada uma contraproposta para o reajuste, que ainda não está finalizada. “Algo que seja viável”, explica ele.

O setor de Alimentação Fora do Lar, segundo a Abrasel, tem 6 mil estabelecimentos em Fortaleza, dos quais apenas 4% estão isentos das taxas. A atividade gera 120 mil empregos diretos na Cidade. A Abrasel, assim como outras entidades, correm contra o tempo. Conforme a Lei 241/2017, os alvarás com mais de um ano de emissão vencem em 30 de junho.

Fonte:
Focus