Já foram apresentadas 967 propostas de mudanças na medida provisória

O presidente do Senado e do Congresso Nacional, Eunício Oliveira (MDB-CE), prorrogou por 60 dias a vigência da medida provisória (MP) que muda pontos da reforma trabalhista (MP 808/2017). A MP altera 17 artigos da reforma trabalhistas considerados mais polêmicos. Ela perderia a validade na quinta-feira (22).

A decisão foi publicada nesta terça-feira (20) no Diário Oficial da União. Com isso, a MP, que ainda aguarda a instalação da comissão especial para começar a tramitar, ficará em vigor até abril. Há muita falta de consenso sobre o assunto entre os parlamentares. Além de a matéria estar travada no Congresso, já foram apresentadas 967 emendas (propostas de mudanças), um número recorde.

Acordo entre Temer e senadores

A edição da MP foi um compromisso do presidente Michel Temer com os senadores, que estavam insatisfeitos com alguns pontos da reforma trabalhista aprovada na Câmara. O acordo garantiu que o texto fosse aprovado pelo Senado sem alterações, para que a matéria não tivesse de ser analisada mais uma vez pelos deputados, pois o governo tinha pressa.


FonteUOL