São Paulo, fevereiro de 2018. A ABRASELSP – Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de São Paulo, realizou uma pesquisa sobre a repercussão do Carnaval 2018, nos bares e restaurantes da capital. O resultado não foi positivo para o setor.

No entanto, a entidade reconhece a importância do evento e o crescimento do fluxo de turistas, e irá discutir com as autoridades, ações voltadas a aumentar a lucratividade dos milhares de bares e restaurantes da cidade.

A ABRASEL SP irá agendar uma audiência com o Prefeito para reivindicar menos rigor no fechamento das ruas e que uma vez que o bloco passe por uma delas, seja logo aberta para o acesso de clientes, além de aumento de banheiros químicos, mais segurança, ações de conscientização para o folião, e divulgação dos estabelecimentos que ficam abertos durante o período.

A entidade vai organizar campanhas e promoções nos estabelecimentos, para atrair os turistas domésticos e internacionais e atender foliões.

“ O Carnaval tradicionalmente tem sido ruim na cidade de São Paulo, pois milhões de pessoas aproveitam esses dias para viajar. Alguns comerciantes reconhecem que antes era bem pior, pois sequer existiam blocos de rua, que mal ou bem, movimentam a cidade. Já no litoral e estâncias turísticas os estabelecimentos faturam bem mais, graças ao aumento dos visitantes”, comenta Percival Maricato – Presidente da ABRASEL SP.


Pesquisa

Participaram da pesquisa aproximadamente 100 estabelecimentos -  bares, restaurantes e similares, localizados nos principais barros da cidade (Vila Madalena, Vila Mariana, Centro, Jardins, Tatuapé e Jabaquara).


Faturamento durante o período de Carnaval – de 10 a 20 de fevereiro de 2018:

70% tiveram prejuízo

20% mantiveram o faturamento de um dia normal /semana

10% tiveram aumento no faturamento

A maioria dos entrevistados, cerca de 80%, avaliou que o Carnaval 2018, foi inferior (prox.-10%/faturamento) ao do ano passado/2017.


As principais reclamações dos empresários são:

· O público prioriza a participação nos blocos, com isso, não há movimento nos bares, sendo utilizados somente para a utilização dos banheiros,

· Consumo de bebidas e alimentos é realizado via ambulantes,

· Os clientes cativos não conseguem chegar até os estabelecimentos, devido o bloqueio das ruas, e

· Aumento de assaltos.

 

Mais Informações:

Roberta Coelho

Assessoria de Comunicação

Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Tel: (11) 99870-5805