Abrasel em Pernambuco estima um aumento médio de 15% no faturamento em estabelecimentos do Estado; Arena Gastronômica movimenta R$ 350 mil e tem melhor resultado de sua história

alt

Empresários do setor de turismo consideram o Carnaval em Pernambuco um sucesso e vislubram a retomada econômica em 2018. A Abrasel em Pernambuco estima um aumento médio de 15% no faturamento em estabelecimentos do Estado. Já a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis local (ABIH-PE) comemora 97% de ocupação nos principais polos de folia e também no litoral Sul e Agreste.

Só no Recife, que recebeu 1,6 milhão de visitantes, vendedores de bebidas, alimentos, artesanato e customização de fantasias cadastrados pela prefeitura faturaram quase R$ 1,5 milhão, cerca de 50% a mais do que no ano passado. A Arena Gastronômica, com 11 restaurantes no Bairro do Recife, movimentou R$ 350 mil, 25% a mais do que no ano passado. Este foi o melhor resultado da arena desde que foi criada há 11 anos. Cerca de 110 mil pessoas passaram pelo local.

Para o presidente da Abrasel em Pernambuco, André Araújo, o aumento médio de 15% no faturamento em bares e restaurantes do Estado, nos pontos mais movimentos no carnaval, mostra a retomada de patamares de 2014 e 2015, quando a crise começou. "A volta do poder aquisitivo, controle da inflação devido à queda no preço dos alimentos e também a queda no endividamento das família são incentivos para as pessoas voltarem a fazer a programação ligada a lazer", afirma.

Já a ABIH-PE estima que houve um aumento de até 10% na ocupação hoteleira em comparação com o ano passado no Estado. No Recife, a ocupação chegou a 90%. Já em Porto de Galinhas, no Litoral Sul, e Gravatá, no Agreste, ficou em torno de 95%. "O Carnaval deste ano foi positivo demais. Os empresários do ramo hoteleiro estão mais otimistas", explica o vice-presidente da ABIH-PE, Eduardo Cavalcanti. Ele é proprietário do Portal do Gravatá e estima ocupação de 98% no hotel. "Gravatá é um ponto escolhido por quem quer fugir do carnaval. O Jazz Festival atraiu milhares de pessoas", completa.


Fonte: JC Online