Prato pode ser considerado uma empressão da identidade cultural e da formação história e demográfica de São Paulo

alt

Prato do dia de toda segunda-feira em bares e restaurantes paulistanos, o virado à paulista foi reconhecido como patrimônio cultural imaterial do Estado de São Paulo pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Governo do Estado de São Paulo).

O feijão engrossado por farinha, de milho ou de mandioca, e toucinho de porco que deu origem à receita, no século 17, marcou a formação do território nacional: era uma forma de alimentação nas monções e bandeiras. Com o tempo, o prato foi enriquecido com arroz, bisteca, torresmo, couve, ovo frito, banana e linguiça.

A combinação foi importante durante as viagens de expansão do território brasileiro. Para o Condephaat, ela pode ser considerado uma expressão da identidade cultural e da formação histórica e demográfica de São Paulo e territórios vizinhos.

Fonte: Guia Folha