Bocuse foi um dos primeiros exponentes da "nouvelle cuisine", que reinterpretou a culinária francesa tradicional.


alt

O chef Paul Bocuse, apelidado de "papa" da gastronomia francesa, morreu, informou neste sábado (20) o ministro francês do Interior, Gérard Collomb, em seu perfil no Twitter. Paul Bocuse morreu aos 91 anos, em sua casa que abriga seu conhecido restaurante em Collonges-au-Mont-d'Or, perto de Lyon (centro-leste). Bocuse sofria da doença de Parkinson. Bocuse foi um dos primeiros exponentes da "nouvelle cuisine", que reinterpretou a culinária francesa tradicional com menos manteiga e creme e com foco em ingredientes frescos e apresentação elegante. "Paul Bocuse morreu, a gastronomia está de luto, o Sr. Paul foi a França, a simplicidade e a generosidade, a excelência e a arte de viver, o papa da gastronomia nos deixou", postou Collomb, ex-prefeito da cidade natal de Bocuse, em Lyon.

Bocuse, nascido em 11 de fevereiro de 1926 em Collonges-au-Mont-d'Or, tinha três estrelas do Michelin, bíblia da gastronomia mundial, há mais de 50 anos, e foi reconhecido como chef do século por guias como Gault et Millau.

Ele estreou na cozinha aos 10 anos, em uma casa de refeição familiar, e não abriu seu próprio restaurante até 1958, recuperando o estabelecimento familiar L'Auberge du Pont e renomeando Paul Bocuse. A virada em sua carreira veio nos anos 1970 com a "nova cuisine", corrente gastronômica que se tornou o pilar da modernidade culinária, graças em parte ao seu livro "A cozinha de mercado". Criador em 1987 do Bocuse d'Or, um prestigiado concurso de gastronomia bienal, a lenda dos fogões franceses também contribuiu para a formação de seus sucessores com a fundação em 1990 do Instituto Bocuse, com sede em Lyon.


Fonte: G1