Bebida só era vendida dentro do estádio ou por ambulantes no entorno


A situação é estranha. Um torcedor pode beber cerveja do lado de fora do Maracanã comprando de um dos ambulantes que trabalham no entorno ou dentro do estádio. Bares e restaurantes, no entanto, não podem vender cerveja. Criada em 2009, a proibição foi derrubada em 20 de outubro na Câmara dos Vereadores por um decreto legislativo, conforme antecipou o blog Panorama Esportivo. Embora a Procuradoria Geral do Município do Rio não reconheça a legalidade, a venda já está acontecendo.

— O entendimento é que a inércia do executivo significa que está valendo a nova regra — diz o vereador Rafael Freitas, autor do decreto que derruba a proibição. As vendas foram iniciadas na última quarta-feira, antes do Fla-Flu pela Sul-Americana. Para os menos de vinte comerciantes que ficam majoritariamente no trecho entre a ruas Professor Eurico Rabelo e São Francisco de Xavier, no ponto de restrição do decreto imposto em 2009 , um dia de clássico — como neste sábado, no Flamengo x Vasco — faz toda a diferença no fim do mês.

Em um jogo bom é possível fazer até R$ 2 mil. É o dinheiro para pagar o aluguel — explica Joana Sousa, que é gerente do Rio Bebidas. — Com a volta, vamos pagar hora extra para um ou dois funcionários por jogo. É dinheiro no bolso de quem trabalha e do patrão.

Proprietário de bar mais antigo do cinturão em que a espécie de Lei Seca vigorou, João Sales, há 30 anos no local, lamenta os prejuízos no Bar dos Esportes. Seu filho, David Pontes lutou durante anos pelas causa e comemora a reviravolta. — Nesse período, nós fomos multados (em R$ 802,46) por vender cerveja quando, na verdade, quem vendia eram os ambulantes na nossa frente — lamenta David, que está recorrendo. — Agora, mesmo sem as condições ideias, já que os ambulantes seguem aqui, vamos finalmente conseguir vender.


Ao contrário dos ambulantes, os bares da região não servem a bebida em garrafa de vidro. Para Rogério Alves, gerente do Tip Top, a liberação vai alavancar as vendas. — Eu posso acomodar 60 pessoas no restaurante e, com a cerveja, aumenta a venda de aperitivos e almoço. O impacto é grande.

Fonte: O Globo