Aumento nas vendas da bebida ajuda a diminuir os efeitos da crise econômica nos bares


Com o calor fora de época enfrentado em Curitiba neste inverno, que é o mais quente dos últimos sete anos em todo o estado, a venda de chope nos bares de rua da cidade aumentou 30% em comparação com as semanas de frio. Segundo proprietários de estabelecimentos do Centro, o aumento é de grande ajuda para aliviar as perdas geradas pela crise econômica e pela esperada baixa na procura pela bebida durante o inverno, que desta vez chegou a ter temperaturas de 31ºC. A estação acaba na próxima sexta-feira (22).


No inverno, as vendas de chope costumam cair uns 90%. Com esse calor, conseguimos subir as saídas para uns 30% a mais do que o esperado”, conta José Tomás, garçom do bar Triângulo, no calçadão da Rua XV de Novembro. O mesmo aumento de 30% foi identificado por Renato de Oliveira, gerente do Café Chopp Sorriso, na Boca Maldita, no Centro: “Antes, com as temperaturas baixas, estávamos vendendo bastante café, mas desde segunda-feira (11), os chopes é que dispararam”, explica.

Para esses e outros estabelecimentos, o chope é o carro-chefe do cardápio e o aumento das vendas do produto ajuda no lucro. “No inverno, nós tentamos oferecer produtos da estação, como sopas, por exemplo. Mas nunca o movimento é tão bom quanto em dias quentes, quando temos muito mais clientes”, conta Vanessa Costa, sócia-gerente de uma cervejaria na Rua 24 horas que também viu a venda de chopes aumentar. Segundo Vanessa, o tempo quente também ajuda porque a Rua 24 horas é um espaço aberto, que não atrai tantas pessoas no frio.


Sobre o momento com maior incidência de vendas, no Bar Triângulo destaca o horário de almoço, como aponta o garçom José Tomás, que trabalha no local há 15 anos e não vê, há tempos, as vendas da bebida subirem tanto no inverno. Outro ponto alto é o happy hour, a partir das 17h. Os mesmos períodos são destacados por Caroline Salgado, gerente de um bar 24h na Rua Marechal Deodoro: “Nesses últimos dias, só não temos vendido chope de manhã”.


Mais calor, mais sede

O público que tem parado para tomar chope nas ruas do Centro é formado principalmente por quem trabalha na região. É o que explica Ricardo Pamphiro, funcionário do bar Pizza, localizado na Rua Carlos de Carvalho. “Pelo que eu vejo, as vendas de chope dobraram nas últimas semanas e a maioria dos clientes são os funcionários dos edifícios comerciais em volta. Na hora do almoço, muitos deles chegam a beber escondidos aqui dentro da loja, para espantar um pouco o calor”, revela Pamphiro.


O empreiteiro Jovenil dos Santos, por exemplo, aproveitou o tempo quente para apreciar um chope por volta das 12h desta sexta-feira (15). Segundo Santos, momentos assim só mesmo em dias muito quentes: “Quando tá frio, eu nunca tiro esse tempo pra tomar cerveja ou chope, ainda mais no horário de almoço”.

Fonte: Gazeta do Povo