15/06/12 - Empresas ensinam investidor a atuar na área de alimentos

 

Empresas que se têm especializado na área de gastronomia com a prestação de serviços têm ganhado a atenção do mercado. Uma delas é a Food Service Company, que enfoca sua atuação em avaliar negócios de novos empresários. Estão entre suas atividades aprovações de financiamento, gerenciamento operacional de obras, verificação de funcionalidade dos locais e até montagem de cardápio e treinamento de equipes de

funcionários. No último ano, a empresa finalizou cerca de 70 empreendimentos e de sua lista de clientes já passaram grandes nomes, como Fran's Café, Café do Ponto, Pizza Hut e Vivenda do Camarão.

 

"Assim que comecei no mercado senti a necessidade de aprimorar a questão de montagem de negócios. Um arquiteto sabe muitas vezes deixar um ambiente bonito, mas não sabe como funciona a operação do negócio. Hoje, por exemplo, nossa empresa não faz um estabelecimento de alimentação sem primeiro definir o cardápio do local", conta Adri Vicente Júnior, diretor da Food Service Company.

O serviço oferecido começa com a avaliação do ponto em que o cliente quer instalar seu negócio. Baseado nesta decisão, verifica-se a oferta de produtos naquele local. "Avaliamos se a intenção é razoável naquele ponto ou não é. Fazemos todo o planejamento financeiro de investimento - quanto vai gastar, faturar, proporções de faturamento, capital de giro, que tipo de investimento terá de ser feito, enfim, todo o processo para viabilizar o negócio", diz Júnior.

O empresário explica que, por unir diversos aspectos em um único processo, a empresa não tem concorrentes diretos. "O que existe são escritórios de arquitetura que fazem projetos, empresas de culinária com nutricionistas que montam cardápios, e assim por diante. Nós percebemos que o mercado precisa de uma profissionalização maior, pois tem muita gente comprando franquia e deixando seu negócio na mão dos outros."

Com um faturamento anual de aproximadamente R$ 1,5 milhão, além de projetar restaurantes, a Food Service Company também trabalha com hotéis, bares, cafeterias, e churrascarias, entre outros. Em restaurantes industriais, como Gerdau e Petrobras, é preciso gerenciar até 13 mil refeições em um horário de almoço. "Cuidamos desse nível de restaurante até uma case de café comum, de pequeno porte. O volume aumenta, mas o processo é o mesmo", garante o diretor.

Empreendedores

A empresa está atrás de pessoas que querem montar um negócio mas não sabem por onde começar. "Nossa função é decidir por onde começar e preparar o empresário para tocar o negócio. Nosso trabalho vai até o dia da inauguração. A gente chega a contratar os funcionários que vão trabalhar.

Quem nos procura é a pessoa que tem a intenção de abrir uma franquia mas ainda não comprou. O profissional de mercado não quer estar apenas coligado ao que a franquia proporciona. O novo empresário quer saber o processo do começo ao fim. Por exemplo, ir até Minas Gerais

escolher o fornecedor de café, fazer uma parceria, contratar um chef diferente. Por isso somos procurados, às vezes a franquia não dá suporte tão interessante nesse sentido. Ele quer errar menos e, se errar, ter consciência disso."

No último ano, a Food Service ampliou sua área de atuação, passando a servir também o setor hospitalar. Depois de pronta a estrutura física de uma nova unidade, com as devidas necessidades médicas instaladas, a empresa entra com o planejamento de atendimento e com a definição de operação. Entre seus novos clientes, estão o Hospital Villa-Lobos e o Cema, na cidade de São Paulo. "É o mesmo caso das grandes empresas.

Atualmente os hospitais são verdadeiros shoppings, com lojas, restaurantes famosos e toda a infraestrutura de conforto para o pacientes e os familiares. E claro que uma boa comida já é requisito básico."

Concorrência

Outra empresa, agora do ramo de tecnologia, que viu um filão na área gastronômica é a Crudo e Cotto Gastronomia Aplicada. A empresa, idealizada por um grupo de jovens executivos, criou o e-Stock Food. O serviço disponibiliza estrutura de e-commerce para o ramo "a custo zero".

A nova plataforma comercial B2B envolve compra e venda pela Internet, com a proposta de facilitar que empresas do setor alimentício tenham oportunidade de distribuir seus produtos, escoar estoque, divulgar sua marca e conquistar novos clientes com custo de anúncio zero.

Inicialmente, as soluções oferecidas serão dirigidas a empreendimentos do setor alimentício da Grande São Paulo. Com o formato de vitrine virtual, a ideia é auxiliar o fornecedor e o comprador por conta de uma proposta sustentável, o sucesso comercial de seus parceiros também é benéfico para o planeta.

 

Fonte: DCI