06/02/2017 - Cresce reação contra aumento do IPTU em Recife

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Várias entidades da cadeia produtiva são contra as mudanças da Prefeitura

 

Após dois deputados da bancada da oposição em Pernambuco anunciarem que vão abrir ações judiciais contra a Prefeitura do Recife para questionar a revisão do valor do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) e a criação de um adicional mais caro embutido no carnê que substitui a antiga Taxa de Limpeza Pública (TLP), outras instituições no Estado decidiram se pronunciar sobre o tema.

Na opinião do presidente do Sindicato da Habitação em Pernambuco (Secovi-PE), Elísio Júnior, tanto os novos valores do imposto quanto a criação da Taxa de Coleta, Remoção e Destinação de Resíduos Sólidos Domiciliares (TRSD), que substitui a antiga Taxa de Limpeza Pública, são medidas irresponsáveis tomadas pela PCR.

“Nada foi debatido com a população e esse reajuste só vai onerar mais ainda o orçamento do contribuinte. Em um momento econômico como o nosso, fazer a pessoa pagar um IPTU altíssimo é impraticável”, comenta. Ainda de acordo com o presidente, juntamente com outras entidades, como a Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Pernambuco (Ademi-PE) e o Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Pernambuco (Sinduscon-PE), o Secovi planeja estruturar uma ação judicial contra o aumento do IPTU e a criação da TRSD.

Para os setores do comércio e de bares e restaurantes, a criação da taxa não veio em bom momento. “É uma questão ambiental e que traz mais qualidade de vida, mas com o consumo tão baixo, só vai piorar a situação do empresariado”, afirma o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) em Pernambuco, André Araújo. Quem concorda é o presidente da CDL Recife, Eduardo Catão. “Muitos lojistas têm pontos próprios e não aguentam mais um custo. As mercadorias já estão baratas demais”, comenta.

Outra crítica se refere ao fato de que a administração pública não anunciou, pela Lei Orçamentária, a criação de uma nova taxa para aumentar a arrecadação. “Passamos por uma eleição municipal e em nenhum aumento o prefeito discutiu um aumento de tributos. Para o consumidor, a TRSF é maior do que o valor pago anteriormente, com a Taxa de Limpeza Pública, e tem o mesmo efeito final”, defende o professor de direito e presidente do Diretório do PSDB no Recife, José Durval.

Em nota, a Secretaria de Finanças explicou que a TRSD substitui a taxa de limpeza pública, não havendo a criação de outra taxa, e vai contemplar os diversos aspectos envolvidos em todo o processo de manejo de resíduos sólidos, iniciando-se na coleta e passando pelo transporte e destinação final adequados.

 

Fonte: JC Online