29/05/12 - Setor de alimentação espera ter crescimento de 18% este ano

O setor de alimentação no Rio está crescendo, com o hábito das pessoas de fazerem as refeições fora de casa. Segundo a consultoria ECD, 41% da renda que o carioca destina à alimentação são empregados no food service, ou seja, no mercado de alimentação fora do lar, que inclui a comida consumida em casa, mas que foi preparada num estabelecimento comercial. A expectativa da ECD para o segmento, no país, é de que ocorra um aumento de 18% em 2012, chegando a 20% em 2014.

 

O aumento do poder aquisitivo da população e os baixos níveis de desemprego, além do aumento considerável da classe C, estão ajudando nesse movimento de expansão do consumo, diz Enzo Donna, diretor da ECD. As melhores opções de negócios na área, destaca, são lanchonetes, padarias, restaurantes a peso e estabelecimentos de fast food. "Agora é um ótimo momento para investir. No caso das franquias no setor, o tempo médio para recuperar a verba investida é de cerca de três anos", diz o consultor.

Público-alvo: casais sem filhos e quem mora só

De acordo com Edson Bregolato, vice-presidente da distribuidora Zamboni, que abastece alguns dos maiores restaurantes, hotéis e bares do Rio, a área de food service tem crescido anualmente 30% em média, de 2007 para cá. Devido ao aumento significativo da quantidade de casais sem filhos e de pessoas que moram sozinhas, diz ele, as linhas de alimentos semiprontos têm tido muita saída. "Purê de batata que basta esquentar, alimentos que já vêm à dorê e os temperos que buscam apelo caseiro são algumas das soluções para facilitar a vida das pessoas".

Só no ano passado, a Zamboni registrou um crescimento de 27% nas vendas que são direcionadas ao mercado de food service. Mais: a expectativa para 2012 é que o crescimento continue seguindo nesse mesmo patamar.

"Uma das principais tendências hoje no mundo da alimentação é a conveniência: produzir mais, em menos tempo, com o menor custo de mão de obra e alta qualidade", explica Bregolato, acrescentando que essa indústria procura oferecer produtos que sejam práticos para os estabelecimentos, além de altamente produtivos. "Cada vez mais são lançados semiprontos com qualidade, ou seja, que preservam os sabores e atributos das matérias-primas".

O restaurante Deki Pizza e Pasta, que foi inaugurado recentemente no condomínio Mandala, na Barra da Tijuca, é um exemplo de aposta no crescimento do setor.

"Nós achamos que este era um bom momento para investir, ainda mais considerando que as pessoas hoje querem comodidade. Só no condomínio, são cinco mil moradores", conta Giovanny Perrotta, um dos sócios do Deki Pizza, ressaltando que o investimento feito no estabelecimento foi de R$ 500 mil.

 

Fonte: O Globo