05/09/2016 - 55ª Convenção Nacional do Comércio Lojista na Bahia debate educação, tecnologia e novos rumos para o varejo brasileiro

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Organizado pela CNDL, FCDL-BA e CDL-BA, terminou ontem evento que reuniu mais de 2 mil dirigentes lojistas e empresários de todo o Brasil para aprimorar e desenvolver novos negócios

 

 

Terminou ontem a 55ª Convenção Nacional do Comércio Lojista, evento organizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado da Bahia (FCDL/BA) e Câmara de Dirigentes Lojistas de Salvador (CDL Salvador). O evento reuniu 2.300 dirigentes e empresários de todo o território nacional na Praia do Forte, na Bahia. O objetivo foi promover o fortalecimento da classe lojista em relação ao aprimoramento e desenvolvimento de novos negócios, por meio da troca de experiências. O presidente executivo da Abrasel, Paulo Solmucci Junior, participou da solenidade de abertura realizada na última terça-feira, 30 de agosto.

“A finalidade da Convenção Nacional do Comércio Lojista é proporcionar mudanças culturais aos participantes, promovendo o crescimento da classe, o aumento do conhecimento e desenvolvimento de novos negócios, além da importância do convívio e a troca de experiências”, explica Honório Pinheiro, presidente da CNDL.

O evento teve como tema Educar e Construir Novos Rumos. “Esse é um tema muito importante, pois educação é a base de tudo e um ponto que precisa ser fortalecido no Brasil”, afirma Frutos Gonzalez Dias Neto, presidente da CDL Salvador. “No ramo do comércio, por exemplo, muitos dos lojistas alcançam o sucesso, mas as vezes falta uma parte da educação no sentido de buscar alternativas para o seu negócio, ou seja, se atualizar com novas tecnologias. Hoje, assistimos a uma evolução muito grande em termos de tecnologia para as lojas e para a relação com o cliente”, analisa.

 

A tecnologia para desenvolver novos negócios

Segundo o presidente da CNDL, esse é o momento oportuno para o varejo brasileiro, que teve sua expansão pautada pelo crescimento do consumo de 2003 a 2013. “O aumento de renda dos brasileiros impulsionou a abertura de lojas e expansão de redes por todo o Brasil. No entanto, o ciclo de desaceleração, considerado natural pelos especialistas, tem desestabilizado os menos otimistas. No comércio, cuja disputa é grande, é essencial enxergarmos as deficiências do mercado, os pontos mais críticos e investir em soluções para conseguirmos nos destacar”, indica.

Honório Pinheiro é enfático: “Com a escassez de oportunidades, apenas os mais preparados terão chances de realizar bons negócios. Acreditamos numa instabilidade econômica de curto prazo. E, para isso, precisamos estar com um olhar no futuro para conquistar bons resultados”.

 

Fonte: Com informações da CNDL