03/08/2016 - Bares e restaurantes da Pampulha (MG) têm alta de 25% após o título

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Complexo Arquitetônico da Pampulha, região da capital mineira, recebeu o título de Patrimônio Cultural da Humanidade no último mês

 

 

Além das belezas da arquitetura moderna, a Pampulha também se destaca pela gastronomia. E, depois do reconhecimento do conjunto arquitetônico, o setor já projeta um boom no segmento. Com cerca de 1.100 bares, lanchonetes e restaurantes em um raio de dois quilômetros da orla, o aumento da clientela foi de 25% só no primeiro fim de semana após a conquista da chancela da Unesco.

Na região, vários points são destacados pelo presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Minas Gerais (Abrasel), Ricardo Rodrigues. São eles: avenidas Fleming (bairro Ouro Preto), Guarapari (Santa Amélia) e Coronel José Dias Bicalho (São Luiz). “Por causa da Lei Seca, as pessoas preferem ficar perto de casa, o que motivou a criação de pontos gastronômicos. O que temos na Pampulha não fica atrás de nenhum local tradicional, como a zona Sul”.

Na Fleming, principal via de acesso à orla, Ricardo ressalta a culinária variada. “Tem churrasco, feijoada, comida japonesa. Vale frisar que o crescimento do setor na região já vem de bem antes do título”.

Foi apostando neste potencial que a Burgueria Pampulha, com decoração inspirada na década de 1950, se instalou na Fleming, há sete anos. Inicialmente com capacidade para 80 pessoas, houve necessidade de ampliar o atendimento para 180. “A longo prazo, com o título global, acreditamos que o crescimento será maior”, diz o chef do estabelecimento, Giuliano Leonardo Menezes.

Mesmo com o crescimento, empresários investem em mais ações para potencializar o setor da alimentação na Pampulha. Ainda neste ano está prevista a sétima edição do Circuito Gastronômico. O tema deverá homenagear o conjunto arquitetônico.

Apesar da visibilidade obtida após o título, o coordenador do evento, Marcelo Haddad Guerra, do restaurante Paladino, não pretende aumentar o número de restaurantes participantes. “Ficaremos em torno de 20. A ideia agora é qualificar quem já integra o circuito”, explica.

 

Fonte: Hoje em Dia