23/06/2016 - Decreto oficializa a criação do Polo de Gastronomia da Amazônia no Pará

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

O Polo de Gastronomia da Amazônia no Pará vai funcionar no Complexo Feliz Lusitânia, local de grande valor histórico onde nasceu a cidade de Belém

 

 

Um projeto que dará ainda mais destaque para a gastronomia paraense foi oficializado por meio da publicação nesta segunda-feira (20), no Diário Oficial do Estado, do Decreto nº 1.568, de 17 de junho de 2016, que cria o Polo de Gastronomia da Amazônia no Pará.

O polo, que vai funcionar no Complexo Feliz Lusitânia, será gerido pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), com apoio da Secretaria de Estado de Turismo (Setur). “A Sedeme foi escolhida para esta gestão por conta da abrangência e compromisso em relação ao desenvolvimento e econômico e social do Estado. Estes são itens que já fazem parte da secretaria, que também terá o apoio direto da Secretaria de Turismo no desenvolvimento das atividades”, diz o diretor do Programa de Desenvolvimento do Turismo Sustentável da Setur, Álvaro Espírito Santo.

“Esse decreto traz um avanço significativo em termos de posicionamento da gastronomia, que é um dos nossos bens imateriais do Pará. Isso fará com que tenhamos um conjunto de instrumentos para preservação desse patrimônio. O local deste polo é estratégico, pois valoriza e fortalece o centro histórico, onde estão algumas das principais atrações cidade”, completa o diretor.

A atração de turistas pelo condão da culinária deu um grande salto em 2015. Em outubro, foi lançado o projeto do Polo de Gastronomia e menos de um mês depois a culinária paraense roubou a cena na ExpoMilão, na Itália, um evento que atrai turistas dos quatro cantos do mundo para conhecer sabores de todos os continentes. “A gastronomia do Pará é a que melhor representa o Brasil, com características bem peculiares e uma variedade ímpar de ingredientes”, acentuou o governador Simão Jatene, no lançamento oficial do Polo de Gastronomia.

O polo se destina a consolidar o saber gastronômico, valorizando o conhecimento e a prática da culinária, transformando Belém em referência internacional do setor e agregando oportunidades de empreendimento nos setores de alimentos, serviços e turismo e beneficiando a cadeia produtiva ligada à gastronomia. A escola de gastronomia, o laboratório de alimentos e o restaurante se conectam para criar um só ambiente de aprendizado, inovação e degustação.

Ainda em 2015, por causa do valor da culinária, Belém foi escolhida como cidade membro da Rede de Cidades Criativas da Unesco, órgão da Organização das Nações Unidas (ONU). Além de Belém, que se destacou pela gastronomia, somente duas cidades do Brasil tiveram esse reconhecimento: Salvador (BA), pela música, e Santos (SP), pelo cinema. Na época, a secretária extraordinária de Integração e Políticas Sociais, Isabela Jatene, sublinhou a dimensão dessa conquista.

“Esse é um selo muito importante, porque insere Belém no contexto das Nações Unidas e demonstra que a gente não está trabalhando sozinho. Quando falamos em gastronomia, falamos de uma enorme cadeia produtiva, das mulheres que produzem o cacau para o chocolate até o chocolate gourmet. A gastronomia paraense não traz só o refinamento do paladar; ela tem por trás a antropologia, a história de vidas de famílias, até chegar à mesa”, disse.

A chegada do Polo de Gastronomia da Amazônia retempera a atividade turística no Pará na hora certa. Iniciativas como a criação da Rota Turística Belém-Bragança, a manutenção de voos internacionais de Belém para os Estados Unidos, Portugal, Guiana Francesa e Suriname, a criação da lancha rápida para o Marajó, entre outros projetos, dão ainda mais qualidade ao turismo.

O governo do Estado investiu mais de R$ 3 bilhões nos últimos quatro anos em transporte, mobilidade urbana, saneamento básico e habitação, reconstruindo as bases da infraestrutura necessária para acolher bem quem visita o Estado. E cada vez mais se visita o Pará: de 2011 a 2014, o número de turistas saltou de 700 mil para mais de um milhão. Um dos resultados desse crescimento foi um incremento de 40% na geração de empregos no setor, com mais de 115 mil postos em 2014.

Por conta dessa performance, o Pará trabalha para se tornar até o ano de 2020 o principal destino turístico da Pan-Amazônia, meta que ganhará maior impulso agora com a criação do Polo de Gastronomia da Amazônia.

 

Arte contemporânea de casa nova

A criação do Polo de Gastronomia da Amazônia é uma boa notícia também para a cultura. Uma das unidades do Polo, o Laboratório, funcionará onde hoje estão abrigadas as cerca de 300 peças de arte contemporânea pertencentes ao acervo do Museu do Estado.

Todo esse acervo será transferido para um local mais apropriado, que será definido pela Secretaria de Cultura do Pará em consonância com as entidades representativas da cultura e da arte paraenses. No novo endereço da arte contemporânea será mantido o conceito museológico adotado hoje, que permite visitação e apreciação das peças com objetivos acadêmicos, além da contemplação. A possibilidade de montar o acervo de arte contemporânea em espaço próprio permite até a ampliação desse patrimônio e um incremento na promoção de mostras e exposições, valorizando ainda mais os artistas paraenses.

 

Fonte: Agência Pará