21/06/2016 - Setor propõe acordo com Rui Costa contra mudança no ICMS sobre bebidas frias na Bahia

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Decisão é empurrão fatal para que 15 mil bares e restaurantes em todo o estado fechem as portas, além de representar um corte de 90 mil empregos no setor.

 

 

Na última sexta-feira (17), o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes na Bahia (Abrasel), Júlio Calado, em conjunto com representantes da indústria de bebidas, se reuniu com o governador Rui Costa para discutir a lei que aumentou em 10% o ICMS incidente sobre bebidas frias, como cervejas e refrigerantes. A decisão é o empurrão fatal para que 15 mil bares e restaurantes em todo o estado fechem as portas, além de representar um corte de 90 mil empregos no setor.

Nos últimos dois anos, o imposto sobre a cerveja na Bahia já aumentou 32% e sobre os refrigerantes o reajuste foi de 18% - ambos além da inflação - e, agora, houve o novo aumento de 10%. "Consumir esses itens na Bahia já é mais caro que em São Paulo e pode ficar ainda mais nos próximos dias. O governo diz que é apenas um corte do subsídio, mas no final das contas é exatamente um aumento de imposto”, afirma Calado.

Apesar de aprovada, ficou decidido que a lei só entrará em vigor se todos os demais estados do Nordeste aprovarem a mesma lei, conforme acordo de governadores perante o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz). Caso os estados do Nordeste não criem leis similares, o governador se comprometeu a extinguir a lei aprovada.

"Ninguém aguenta mais esses aumentos. Ou o governo começa a resolver seus problemas como todo mundo está tratando de resolver, cortando pessoal, ficando mais econômico e competitivo ou nós vamos quebrar. Eles não podem, toda a vez que apertar, buscar a solução no nosso bolso. Os mercados internos, em cada estado, vão brigar contra esse reajuste”, reafirmou Calado.

 

Fonte: Abrasel na Bahia, com informações do Bahia Notícias