17/05/2016 - Casos de sucesso: O sabor cearense dita a prosperidade da casa

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Com excelência no atendimento, o restaurante Cantinho do Faustino conquista os clientes, se expande e chega a várias cidades do Brasil.

 

 

De um pequeno empreendimento em Fortaleza, no Ceará, a uma rede de restaurantes que já começa a se espalhar pelo Brasil - essa é a trajetória do Cantinho do Faustino. Hoje com quatro casas franqueadas e projeto de abertura de mais duas, o estabelecimento já foi reconhecido dez vezes pelo Guia Quatro Rodas como o melhor restaurante do Ceará, desde que iniciou suas atividades, em 1991. Para José Faustino Paiva, empresário e chef de cozinha, a qualidade dos alimentos servidos e do atendimento ao cliente são os principais responsáveis pelo crescimento da rede.

O gosto pela cozinha surgiu desde criança, quando via seus pais prepararem os típicos pratos cearenses, como a Peixada e o Baião de Dois. Isso, aliado à bagagem de uma trajetória por cozinhas de grandes restaurantes e hotéis, além de viagens por países europeus, resultou na originalidade e autenticidade de preparar pratos que valorizem a cultura local.

A carreira do filho de agricultores, vindo de Reriutaba, cidade a 313 Km de Fortaleza, começou aos 18 anos, quando saiu de casa e rumou para o Rio de Janeiro em busca de oportunidades. Com entusiasmo de sobra - que esbanja até hoje, aos 58 anos - ele começou trabalhando como lavador de pratos e passando por diversas funções, como garçom, camareiro, gerente de hotel e cozinheiro, até que o espírito empreendedor começou a gritar alto e Faustino resolveu abrir seu próprio negócio. Foi em 1991 que, junto com a família, o Cantinho do Faustino começou a ganhar vida em Fortaleza. “Na época eu tinha apenas uma mesa e três tamboretes. Era um cantinho pequeno, onde trabalhávamos eu, minha esposa e meu sobrinho”, conta o empresário. À medida em que o sucesso aumentava, a casa foi ficando pequena para a clientela e teve que mudar para um espaço maior. “Foi crescendo, crescendo até virar um cantão”, brinca Faustino.

A simpatia no atendimento de mesa a mesa, a atenção com a qualidade dos alimentos e a criatividade nos pratos, que valorizam a tradicional culinária cearense com um toque da sofisticação europeia, cativaram a clientela e o nome Faustino começou a se espalhar por Fortaleza. Com isso, o chef resolveu usar sua marca para abrir uma franquia.

 

Expansão

Hoje a rede de restaurantes Cantinho do Faustino conta com três unidades em Fortaleza e já começa a se espalhar pelo Brasil: em março de 2016 foi inaugurada uma franquia em Teresina (PI), que conta com 70 funcionários. Lá, ele pretende fazer uma mistura gastronômica entre as culinárias cearense e piauiense. O empresário revela também projetos de uma franquia em Brasília e outra no Maranhão.

No Brasil, o chef se tornou uma das referências do movimento Slow Food, que promove o uso de alimentos de qualidade, produzidos de forma sustentável e livre de agrotóxicos, e com origem cultural reconhecida. “Penso que o futuro do mundo é o Slow Food, com o uso de orgânicos”, ressalta Faustino, que acredita que a aplicação de agrotóxicos nos alimentos é um grande vilão na saúde dos brasileiros.

Ele já representou o Ceará em eventos internacionais, como o tradicional Terra Madre, que acontece em Turim, na Itália, a cada dois anos, e reúne produtores de alimentos, cozinheiros e especialistas com o objetivo de promover a produção de alimentos boa, limpa e justa. “Eu quero explorar a matéria prima que nós temos no Ceará e mostrar que podemos consumir alimentos sem agrotóxicos”.

 

 

O aproveitamento dos produtos locais é contemplado em todos os pratos do Cantinho do Faustino. Entre os mais famosos está a Lagosta ao Mocororó: lagosta com folhas de jerimum (como é conhecida a abóbora no nordeste) e um molho feito do mocororó (uma espécie de vinho extraído do caju azedo, bebida típica do Ceará). Já no cardápio de sobremesas, os mais famosos são os sorvetes de manjericão, rapadura ou azeitona preta, que fazem parte de várias combinações, como a banana flambe com bolas de sorvete de rapadura e de manjericão.

Até mesmo a arquitetura do restaurante reflete a personalidade simples do cearense do interior. Grandes varandas, com iluminação e ventilação naturais, paredes de tijolos aparentes e estruturas de madeira de eucalipto criam um ambiente campestre e bastante confortável para os clientes. “Sou uma pessoa do interior, trabalhei com agropecuária e agricultura, então em tudo que é meu quero colocar esse toque rústico”.

Mas um cardápio bem elaborado e uma decoração agradável não bastam. Para o empresário o segredo está no atendimento. No Cantinho do Faustino, o serviço te que ser de primeira e ele mesmo faz questão de receber seus clientes no salão. “O que eu não quero ver é cliente meu reclamando de algo aqui no restaurante”, finaliza.

 

Fonte: Meu Negócio Minha Vida, edição nº 19.