12/05/2016 - Sebrae dá dicas para bares e restaurantes driblarem a crise

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

O setor de alimentação fora do lar é afetado tanto pelo aumento de custos quanto pela queda no faturamento. Pensando nisso, 8 dicas foram propostas pelo Sebrae.

 

Segundo levantamento da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), um a cada seis empresários do setor pensa em fechar o negócio ou repassar o ponto nos próximos meses. Isso quer dizer que, dos mais de 886 mil estabelecimentos, quase 150 mil correm o risco de fechar as portas.

O setor é afetado, por um lado, pelo aumento de custos, com alta nos preços de luz, gás e alimentos, entre outros. E, por outro lado, há uma queda no faturamento. "A redução do poder de compra e o aumento do número de desempregados têm, cada vez mais, levado as pessoas a economizar e preparar suas refeições em casa", diz a diretora técnica do Sebrae, Heloisa Menezes.

O Sebrae criou uma cartilha com dicas para ajudar os empreendedores da área e evitar quebradeira. Um exemplo prático é o da empresária Ranael Ribeiro Nascimento, 41, sócia do restaurante Pitada Caseira, em São Paulo, que passou a fazer entregas e a alugar o salão à noite.

 

Dentre as dicas do Sebrae, estão:

 

1. Seja mais produtivo e eficiente

 

 

É recomendável rever os processos da empresa e observar pontos que podem ser melhorados e formas de reduzir custos. Isso pode ajudar a melhorar as contas no fim do mês. Mas, atenção: aprimorar a forma de fazer não quer dizer diminuir a qualidade do serviço, mas sim fazer o mesmo ou até melhor de forma mais produtiva.

 

2. Substitua produtos caros

O desafio é manter preço e qualidade apesar do aumento de custos. Para isso, fazer as contas e usar a criatividade são atitudes fundamentais. Uma alternativa é substituir produtos ou incluir novas opções para manter o gasto médio do cliente, ou seja, ter no cardápio opções que permitam ao cliente continuar pagando o mesmo valor de sempre.

 

3. Fortaleça a relação com fornecedores

Fornecedores podem se tornar parceiros e fazer parte do negócio. A relação "ganha-ganha" sempre favorecerá seu negócio. Encontrar a forma de aproximação com seus fornecedores, reconstruindo a relação em um formato mais próximo ao da sua empresa, trará benefícios mútuos.

 

4. Observe novas oportunidades.

Novos modelos de negócios e canais de venda surgiram nos últimos anos: food truck, festivais gastronômicos, promoção em aplicativos e em rede sociais, menus executivos, aluguel do espaço, entre outros. São alternativas para aumentar o faturamento.

 

5. Preocupe-se com a higiene

Especialmente neste momento de crise, seu negócio não pode correr riscos. Estar atento às normas sanitárias o torna mais organizado e limpo na cozinha e no salão. O cliente observa e busca isso.

 

6. Aposte em ingredientes e receitas típicas

A gastronomia é um dos bens mais valiosos de um povo, pois faz parte do seu dia a dia. A busca por vivências e experiências é uma tendência, e a comida regional é um dos principais atrativos turísticos no mundo todo. Os empreendimentos que buscarem esse diferencial, unindo técnica de cozinha a produtos autênticos e brasileiros, conseguirão atingir um público selecionado.

 

7. Associe-se a outros estabelecimentos

 

 

Em momentos difíceis, ter parcerias para compras, para realizar promoções, para negociar prazos de pagamento e de entrega, por exemplo, pode facilitar tanto para você como para os outros parceiros, além do fornecedor, que terá um grupo de empresas para atender.

 

8. Participe de discussões sobre leis

É importante identificar burocracias que podem ser simplificadas para melhorar o desempenho do negócio e o ambiente legal, buscando associar-se a entidades representativas e participar de discussões.

 

Fonte: UOL Notícias