06/05/2016 - UNECS e Frente CSE se reúnem para tratar da pauta prioritária do setor

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Em encontro ocorrido na última semana de abril, representante da UNECS e parlamentares que compõem a Frente falaram sobre desafios do setor de comércio e serviços no Brasil e de carta-manifesto entregue ao vice-presidente Michel Temer

 

Parlamentares da Frente CSE e representantes da UNECS se reuniram para discutir prioridades do setor

 

No dia 27 de abril reuniram-se em Brasília representantes da União das Entidades de Comércio e Serviços (UNECS) e parlamentares que compõem a Frente Parlamentar Mista em Defesa do Comércio, Serviços e Empreendedorismo (CSE), presidida pelo deputado federal Rogério Marinho (PSDB/RN), para tratar dos desafios deste setor no Brasil, principalmente frente às mudanças político-econômicas que o País vem atravessando. Durante a reunião, foi apresentada uma carta-manifesto dirigida ao vice-presidente Michel Temer onde foram sugeridas três reformas que impactam diretamente o setor: tributária, trabalhista e previdenciária. O documento, que propõe um novo ciclo de desenvolvimento econômico e emprego para o Brasil, foi aprovado por unanimidade e entregue a Temer por uma comissão especial no mesmo dia.

Um dos primeiros a se manifestar durante a reunião, o deputado Nelson Marchezan Jr (PSDB/RS) frisou que a crise econômica está restrita ao setor privado já que o público segue aumentando salários e contratações. O parlamentar afirmou que não é possível cortar impostos sem diminuir a máquina pública e pediu que o setor de comércio e serviços se posicione de maneira clara sobre o assunto.

Em consonância com o posicionamento de Marchezan, o deputado Domingos Sávio (PSDB/MG) enfatizou: “devemos ter a consciência de não repetir a receita que está dando errado. Para isso, há a necessidade de reduzir os custos da máquina pública, que é inchada, burocrática, ineficiente e atende apenas a interesses partidários”.

Em seu discurso, o deputado Laércio Oliveira (SD/SE) afirmou que o ajuste da máquina pública é uma das iniciativas mais importantes na nova fase do governo. Ele também falou da importância de um novo ambiente de trabalho que precisa ser aberto ao diálogo com o empresariado.

O presidente executivo da Abrasel, Paulo Solmucci Junior, manifestou prudência em relação ao momento transitório do governo federal e disse que não há ilusão de que os problemas do setor serão solucionados magicamente. “A política deve ser feita de modo substancial e há necessidade de adotar medidas imediatas para não cair em descrédito. Devemos trabalhar para aumentar a competitividade do Brasil para atrair mais investimentos”, resumiu.

 

No sentido horário: Foto 1 - Os deputados Goulart (PSD/SP), Mauro Pereira (PMDB/RS) e Nelson Marchezan Jr. (PSDB/RS); Foto 2 - Deputados Laércio Oliveira (SD/SE), Rogério Marinho (PSDB/RN) e Manoel Júnior (PMDB/PB); Foto 3: Domingos Sávio (PSDB/MG), Eduardo Cury  (PSDB/SP), Luiz Carlos Busato (PTB/RS), Herculano Passos (PSD/SP); Foto 4 - Goulart (PSD/SP) e presidente da Abrasel, Paulo Solmucci Júnior.

 

Já o deputado Goulart (PSD/SP) tocou em um dos pontos principais da carta: a reforma previdenciária e como torná-la viável. Falou também sobre a importância da questão dos cartões de crédito e como isso é um problema para quem quer empreender no Brasil. O coordenador da UNECS, Fernando Yamada, fez coro ao problema e enfatizou que a entidade está preocupada com a questão dos cartões de crédito e as altas taxas pagas. Ele disse que as reivindicações da entidade foram apresentadas ao diretor de política monetária do Banco Central (Bacen), Aldo Mendes, em reunião realizada na manhã do mesmo dia. Para Yamada, que também preside a Associação Brasileira de Supermercados (Abras), os micro e pequenos empresários são os que mais sofrem para quitar os empréstimos realizados via cartão de crédito.

O deputado Goulart tratou ainda da reforma trabalhista. “É necessário enfrentar a questão da CLT logo e os parlamentares irão dar suporte nesse quesito”, afirmou. Nesse sentido, o deputado Herculano Passos (PSD/SP) reforçou a importância da aprovação do projeto de lei 3785/2012, que trata do trabalho intermitente, e informou que propôs uma emenda específica para as Olimpíadas.

O novo presidente da Frente Parlamentar CSE, deputado Rogério Marinho, afirmou que deve ser feito acordo para se aprovar o projeto do trabalho intermitente em regime de urgência e eleger o deputado Herculano Passos como relator em plenário. Fernando Yamada ressaltou que a UNECS vai acompanhar a nova fase do governo e cobrar que o projeto do trabalho intermitente seja aprovado com celeridade e testado já nas Olimpíadas, que começam em agosto.

Considerando que a pauta do trabalho intermitente é uma das mais importantes para o setor de comércios e serviços, Rogério Marinho sugeriu que o próximo evento realizado pela Frente seja sobre a proposta da reforma trabalhista, que vem sendo proposta pelo PTB.

A carta foi entregue ao vice-presidente Michel Temer por uma comissão especial. Para ler o documento, clique aqui.

 

Comissão formada por parlamentares da Frente CSE entregam carta ao vice-presidente Michel Temer

 

Presidindo a reunião e a Frente Parlamentar Mista em Defesa do Comércio, Serviços e Empreendedorismo (CSE) estava o deputado federal Rogério Marinho (PSDB/RN). Participaram também os deputados Alex Canziani (PTB/RS), Alfredo Kaefer (PSL/PR), Antônio Imbassahy (PSDB/ BA), Augusto Coutinho (SD/PE), Baleia Rossi (PMDB/SP), Carlos Marun (PMDB/MS), Domingos Sávio (PSDB/MG), Eduardo Cury (PSDB/SP), Evair de Melo (PV/ES), Evandro Roman (PSD/PR), Geovânia de Sá (PSDB/SC), Goulart (PSD/SP), Herculano Passos (PSD/SP), Jerônimo Goergen (PP/RS), Joaquim Passarinho (PSD/PA), Keiko Ota (PSB/SP), Laércio Oliveira (SD/SE), Luiz Carlos Busato (PTB/RS), Luiz Carlos Hauly (PSDB/PR), Manoel Júnior (PMDB/PB), Mauro Pereira (PMDB/RS), Nelson Marchezan Jr. (PSDB/RS), Newton Cardoso Jr. (PMDB/MG), Osmar Serraglio (PMDB/PR), Paulo Abi-Ackel (PSDB/MG), Paulo Martins (PSDB/PR), Pedro Fernandes (PTB/MA), Raimundo Gomes de Matos (PSDB/CE), e Valdir Collato (PMDB/SC).

Pela UNECS, participaram os presidentes da Abrasel, Paulo Solmucci Júnior; da Abras, Fernando Yamada, da CACB, George Pinheiro; da Anamaco, Cláudio Conz; além do superintendente da CNDL, Everton Correa, representando o presidente da entidade, Honório Pinheiro.