27/04/2016 - Alimentação fora do lar é o setor que mais gera empregos no turismo em Minas

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Pesquisa realizada pela Setur-MG aponta que 45% dos empregos que envolvem o turismo no estado são gerados pelo setor de alimentação fora do lar.

 

 

Com o objetivo de analisar a situação do mercado de trabalho do turismo em Minas Gerais, a Secretaria de Estado de Turismo (Setur-MG), por meio do Observatório do Turismo, lançou o primeiro Boletim do Emprego no Turismo. A fonte utilizada foi o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), realizado pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). A pesquisa aponta que 45% dos empregos que envolvem o turismo no estado são gerados pelo setor de alimentação fora do lar. Os dados foram calculados considerando uma periodicidade mensal, e iniciaram-se a partir de fevereiro de 2016 sempre fazendo comparação com os dados do mesmo período do ano anterior.

Minas Gerais é o segundo Estado brasileiro em número de habitantes e o quarto com maior área territorial do país. Diante disso, de acordo com o secretário de Estado de Turismo, Ricardo Faria, “apresenta-se um grande potencial turístico a ser explorado, fazendo com que haja oportunidades únicas de fomentar a geração de emprego e renda por meio da recepção de turistas no Estado. Assim, faz-se de grande relevância o acompanhamento do desempenho econômico daquelas atividades que dependem do turismo, ou que por este são impactadas”, afirma. E completa: “a partir destas análises, tanto o Estado quanto as iniciativas privadas poderão planejar com maior efetividade suas políticas, priorizando setores ou públicos-alvo, estabelecendo critérios técnicos, ou até mesmo adquirindo poder de argumentação em diálogos com a sociedade sobre o tema”.

 

Para este boletim, foram consideradas como “Setor de Turismo” as atividades afetadas pela presença de turistas na região, que, de acordo com o diretor de Pesquisa, Informações Turísticas e Estatística da Setur, Rafael Oliveira, “são aquelas atividades cuja presença de turistas é fundamental para sua existência (como hotéis e agências de viagem), além das que são beneficiadas pelo turismo, mas que não deixam de existir na sua ausência (como restaurantes e comércio)”. A relação completa das atividades, bem como mais detalhes sobre a metodologia aplicada, podem ser encontrados anexo ao Boletim.

 

Fonte: Setur-MG