11/02/2016 - Carnaval de rua 2016, em São Paulo, supera a expectativa de retorno para a cidade

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Crescimento do Carnaval de Rua deverá superar a meta dos R$ 400 milhões em negócios gerados para a cidade. Em uma semana, atrações levaram mais de 1 milhão de pessoas às ruas

 

 

O prefeito Fernando Haddad visitou nesta terça-feira (9) a sede do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE). O local concentra a sala de situação da Operação Chuvas de Verão e do monitoramento do Carnaval de Rua da cidade. De acordo com estimativas da organização, o carnaval de rua deste ano reuniu um milhão de pessoas em 10 dias. Em 2015, foram seis semanas de carnaval, com a presença de aproximadamente 1,5 milhão de pessoas, em 270 blocos de rua.

Neste ano, a capital conta com 355 blocos, 35% a mais do que no ano passado. Por isso a expectativa é de crescimento com os negócios gerados com turismo e consolidação dos sucesso de blocos de rua. Cada vez mais, São Paulo se torna um destino competitivo para turistas e uma opção atraente para os próprios paulistanos, que permanecem na cidade, mesmo durante o feriado.

“Devemos superar a meta de R$ 400 milhões em negócios gerados na cidade, isso tanto de pessoas que vieram para São Paulo, sobretudo das pessoas que deixaram de sair da cidade para brincar o Carnaval na cidade, e isso é um fato novo em São Paulo. Há pessoas que deixaram de ir para outras localidades porque tiveram a folia garantida por aqui, com a infraestrutura coerente com as necessidades da cidade”, afirmou o prefeito, que continuou: “É quarenta vezes mais de receita do que de despesa. A cada R$ 1,00 investido, a cidade tem R$ 40,00 de retorno, sem incluir o desfile”.

Haddad destacou o crescimento da festividade em 2016. "Talvez este tenha sido um dos melhores carnavais da história da cidade, pela organização, pelo comportamento das pessoas que receberam o convite e participaram da festa, sem ocorrências graves. Tivemos aqui toda a infraestrutura da CET, do SAMU, das equipes voltadas também para a questão das chuvas e tudo funcionou adequadamente. Obvio que sempre podemos melhorar de um ano para o outro, mas o fato de não termos ocorrências graves até aqui e tudo ter transcorrido como o previsto mostra o crescimento da festa”, afirmou Haddad.

Questionado sobre alguns transtornos à moradores na região da Vila Madalena, Haddad disse que a ideia é continuar ouvindo as sugestões de todos os paulistano para que a festa seja cada vez mais organizada. “Aprendemos muito esse ano, já fomos muito além das nossas expectativas, mas sempre com muita humildade nós vamos procurar compatibilizar essas perspectivas divergentes no sentido de fazer com que todo mundo curta São Paulo durante o Carnaval”, disse.

“Os blocos de carnaval não têm gerado problema significativo para a população moradora da Vila Madalena. O problema é o que acontece à noite e que pode acontecer em outras oportunidades. Existem reclamações da Vila Madalena não só no carnaval, mas no ano inteiro. Não é um problema do Carnaval, mas da maneira como a Vila Madalena passou a ser vista”, explicou o secretário municipal de Cultura, Nabil Bonduki.

Haddad também destacou a importância das escolas de samba para a cidade. “Nós dependemos do bom samba que São Paulo faz para ter blocos na rua, para ter ambiente de Carnaval. Uma coisa não se opõe a outra, elas são complementares e eu diria que se o Carnaval das escolas não tivesse avançado tanto, talvez o convite que a cidade fez para as pessoas permanecerem aqui em troca da infraestrutura que estamos dando não tivesse sido aceito tão facilmente como foi. Essas coisas se combinam”, disse o prefeito.

Atualmente, para apoiar a realização do Carnaval no Sambódromo, a Prefeitura oferece um apoio institucional de R$ 34 milhões, destinado a serviços de organização, divulgação, comercialização, controle e fiscalização referentes às apresentações de 110 agremiações. A infraestrutura para a realização dos eventos recebe mais R$ 10 milhões, utilizados em equipamentos, serviços e produtos, pessoal técnico e operacional do Carnaval 2016. Em 2015, foram aproximadamente R$ 27 milhões de apoio institucional e cerca R$ 10 milhões para infraestrutura.

A Prefeitura também oferece apoio ao Carnaval de Rua dos blocos independentes por meio da Secretaria Municipal de Cultura. Este ano, são cerca de R$ 10,5 milhões de investimento, sendo 35% verbas dos patrocinadores, a marca de cerveja Amstel e da Caixa Econômica Federal. Em comparação com 2015, os investimentos no carnaval de rua cresceram 66%.

 

Fonte: Prefeitura de São Paulo * Para ler a matéria na íntegra, acesse o site.