29/01/2016 - Turistas estão gastando menos do que em outros anos, indica pesquisa com bares, restaurantes e hotéis

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Pesquisa da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de SC foi realizada durante a virada de ano

 

 

Enquanto o movimento é positivo para bares, restaurantes e hotéis de Santa Catarina nesta temporada, empresários do setor estimam que os gastos dos turistas estão abaixo do esperado pelo setor. Pesquisa da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de SC, realizada durante a virada de ano, aponta que 52% dos donos de estabelecimentos catarinenses acreditam que o poder de compra dos clientes ficou igual ao do ano passado e 35% têm percepção de que diminui.

– Já percebemos isso durante 2015. Clientes estão gastando menos. Não deixaram de fazer lazer, mas mudaram o valor de compra – observa o presidente do conselho de administração da Abrasel, Fábio Queiroz.

Para criar alternativas, restaurantes têm oferecido pratos mais econômicos e promoções em determinados dias e horários. Queiroz lembra ainda que os comerciantes também tiveram uma perda de rentabilidade com o aumento do custo da produção.

– A margem de rentabilidade do setor neste ano foi muito afetada. Os custos aumentaram e estabelecimentos não conseguem repassar o valor. Uma nova medida fora do Simples vai gerar um aumento de 140% na carga tributária nas empresas que pagam ICMS – destaca Queiroz, lembrando que outros custos como aumento da energia elétrica, tarifas e impostos também afetam o setor.

Vice-presidente de turismo da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio) de SC, Fernando Willrich avalia que, apesar de ainda não ter números consolidados, há uma percepção comum entre os empresários: o turista está segurando os gastos nas férias para não ficar endividado durante o ano. Uma pesquisa sobre o valor do ticket médio – índice que avalia a média de gasto de cada turista – deve ser divulgada no fim de fevereiro.

– Este ano temos mais turistas argentinos e uruguaios, mas a maioria ainda é turista do sul do país. Vem de carro e com um orçamento enxuto – avalia Willrich.

 

Queda na receita ocorre desde 2007

Segundo dados da Fecomércio, desde 2007 SC registra queda nos gastos durante as temporadas. Naquele ano, o turismo gerou receita de R$ 3,6 bilhões em SC. Em 2015, porém, esse valor ficou em R$ 1,7 bilhão. A expectativa é que neste ano a receita alcance R$ 2 bilhões.

A percepção da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH) em SC para o gastos na rede hoteleira é melhor. Segundo levantamento realizado pela entidade em janeiro, o gasto médio dos turistas argentinos foi de 100 doláres ante 80 dólares no mesmo período de 2015. Já os brasileiros gastaram até agora em média R$ 350 contra R$ 330 da temporada passada.

– O mês ainda não fechou. Temos o Carnaval, e considerar que os turistas estão gastando mais por conta da valorização do dólar e dos preços custos/Brasil estarem altos. Na rede hoteleira, a previsão de ocupação para esta temporada era de 95% e, até agora, estamos com uma média de 87% – avalia o presidente do Conselho Deliberativo da ABIH, João Eduardo Moritz.

 

Fonte: Diário Catarinense * Para ler a matéria na íntegra, acesse o site.