30/11/2015 - Franquias de lanches rápidos investem em cantinas de escolas e faculdades

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

As franquias chegaram à cantina da escola. As redes Rei do Mate, Megamatte e Koni têm apostado nos espaços privados para expansão. São lojas instaladas dentro de instituições de ensino, principalmente em faculdades. O objetivo é se aproximar do público-alvo, pessoas entre 14 e 39 anos. O investimento inicial dessas unidades varia de R$ 230 mil a R$ 410 mil.

Julio Monteiro, diretor executivo da Megamatte, diz que a rede abriu uma loja piloto em 2012, no Colégio Triângulo, no Rio de Janeiro. Atualmente, a empresa tem cinco unidades no formato franquia-cantina e já assinou contrato para instalar mais quatro. "Nossa loja piloto deu tão certo que hoje chega a superar em até 55% o faturamento médio das demais unidades da rede, que é de R$ 75 mil."

 

Negócios apostam na alimentação rápida e saudável

Monteiro atribui o resultado à demanda do público mais jovem por uma alimentação rápida e saudável. "Temos um mix de produtos que engloba salgadinhos assados, sucos e sanduíches naturais e uma variedade de mates." Atualmente, a expansão do modelo está concentrada no Rio. No entanto, Monteiro afirma que já negocia com instituições de São Paulo.

Já a Rei do Mate tem seis lojas instaladas em faculdades e está abrindo a sétima em Santos, no litoral paulista. A rede trabalha com um cardápio de salgados e lanches rápidos, além de opções naturais. "Os estudantes estão buscando uma alimentação mais saudável. Eles querem tomar açaí, mates e alimentos assados e não fritos", afirma Antonio Nasraui, diretor da rede.

A Koni, rede de fast food de comida japonesa, também está iniciando o processo de expansão fora dos shoppings e das ruas. A primeira franquia-cantina da empresa foi aberta em agosto deste ano, na Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo.

 

Modelo abre frente para franquias, mas sazonalidade é risco

Segundo Filomena Garcia, especialista em franquias e colunista do UOL, as redes estão começando a diversificar seus modelos de negócio para atuar em novas frentes. "Depois de irem para os aeroportos, ruas e centros de convenções, elas partiram para as instituições de ensino. É uma forma de ampliar as oportunidades do negócio."

Ela recomenda que, antes de adquirir uma franquia neste formato, o empreendedor observe o faturamento anual e não apenas o resultado mês a mês. "Muitos negócios são sazonais e podem não dar o mesmo resultado todos os meses." As escolas e faculdades param atividades duas vezes por ano. "No caso das franquias-cantinas, nos meses de férias o faturamento pode ser baixo."

Por causa disso, a consultora aconselha conversar com a instituição e negociar redução de aluguel no período. "Também vale se informar se são oferecidos cursos extracurriculares nas férias para ter ideia de como será o faturamento da loja."

 

Fonte: UOL Empreendedorismo