19/08/2015 - 3 regras para empreender no mercado de comidas e bebidas

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Evento em São Paulo reuniu startups do ramo de comidas e bebidas para discutir inovações do mercado

 

O mercado de comidas e bebidas tem sido o segmento escolhido por boa parte dos empreendedores brasileiros nos últimos anos para inovar. De acordo com dados da Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação, o crescimento do setor de food service, em que a alimentação ocorre fora de casa, sobe com uma taxa de 14,7% ao ano no país.

O evento Startup Foods, que aconteceu em São Paulo no dia 29 de julho, convidou os empreendedores Felipe Fiovarante, da iFood, Felipe Baeta, da Ofélia, Leonardo Fagherazzi, da Pause Bebidas, e o produtor rural José Eduardo Mendes Camargo a discutirem as peculiaridades deste segmento.

“O que as pessoas estão consumindo e a forma que elas estão consumindo está mudando muito rápido. Analisando a inércia da indústria tradicional, faz muito sentido pensar em empreendedorismo nessa área hoje”, afirma Baeta. Confira as dicas dos empreendedores para começar um negócio neste ramo:

 

1. Execução é tudo

Estudar tendências e entender o comportamento de consumo são os princípios para inovar na área de alimentos. “No ramo de alimentos, uma grande ideia é apenas 5% do negócio. Os outros 95% estão em como ela será executada”, diz Fagherazzi.

Neste segmento, o empresário muitas vezes não consegue prever o desempenho da empresa nos primeiros três meses de negócio, devido à dinamicidade do mercado. Trabalhe com micro metas semanais e mensais e não deixe a empolgação com uma ideia atrapalhar a execução.

 

2. Compartilhe seu propósito com a equipe

Utilize o propósito da sua empresa para atrair o perfil certo de pessoas. Funcionários jovens com poder de execução e senso de compromisso tendem a trabalhar em startups ao invés de empresas tradicionais. A princípio, utilize sua rede de contatos para buscar profissionais com esse perfil.

No dia a dia, manter todos os membros da equipe alinhados com sua causa é fundamental. “As primeiras pessoas para quem você deve vender sua empresa são os seus funcionários. Faça com que eles se motivem pela causa”, diz Fiovarante.

 

3. Seu parceiro é sua fortaleza

A melhor maneira de testar a tração do seu produto é colocando-o no mercado o mais rápido possível. Porém, neste ramo, nem sempre as pequenas empresas têm caixa suficiente para começar a produzir. No estágio inicial, buscar parceiros de desenvolvimento de fórmula, de mercado e de distribuição é fundamental. “Se você quiser ir rápido, vá sozinho. Mas se quiser chegar longe, vá em grupo”, diz Camargo.

 

Fonte: Revista PEGN