11/08/2015 - Garçons viram estrelas dos bares e restaurantes

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Especialista afirma que profissional é quem ajuda a manter o restaurante/bar aberto

 

Quem já não saiu de um bar ou restaurante com um certo mal estar causado, não pela comida, mas pela demora ou rispidez no atendimento? Quem ainda não passou por isso pode se considerar uma pessoa de sorte. “Não adianta pensar apenas no chef na hora de abrir um estabelecimento porque não é ele quem irá fazer o trabalho final de encantar o cliente”, explica a coordenadora do Laboratório de Excelência em Serviços da Universidade Positivo, Carolina Parolin. “Quem vai fazer cumprir essa tarefa o garçom”, diz. Carolina ressalta que é esse o profissional responsável por manter o sucesso da casa, uma vez que quem “vende” o serviço de atendimento é ele.

Este profissional, que comemora hoje o seu dia, é visto como peça importante para os negócios da casa. Que o digam os donos de restaurantes que já tiveram que ouvir reclamações do cliente, que podem até não voltar mais e ainda fazer aquela propaganda negativa do atendimento. Carolina ressalta que é importante que quem escolheu o setor de serviços entender que o seu trabalho na verdade será o de servir. “Por isso, o garçom precisa de atenção não apenas a parte técnica, mas principalmente a comportamental”, analisa.

Carolina lista cinco tipos de comportamentos que devem ser evitados em qualquer casa. Entre os principais estão a falta de etiqueta no atendimento, falta de respeito ao espaço do cliente, grupinhos de garçons em conversas paralelas, profissionais que usam a carreira de garçom para trampolim e a falta de atenção ao cliente.

Já para quem escolhe a profissão de garçom, segundo Carolina, precisa entender que o seu trabalho será o de servir, de “vender” a casa na qual está contratado. “Ele deve investir, com certeza na qualificação técnica, mas também em cursos que trabalhem a formação comportamental, a gestão de clientes e voltados para o encantamento do cliente”, orienta. “Em resumo, o garçom tem de atender o cliente do mesmo modo que gostaria de ser atendido”, diz.

 

Fonte: Bem Paraná