07/08/2015 - Gastronomia volta à ativa na Morada dos Baís (Campo Grande) com choperia, espetáculos e shows

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Casarão histórico da cidade não foi mexido, apenas recebeu pequenos reparos de tinta e jardinagem e também atenção à parte elétrica

 

 

A Morada dos Baís abre as portas nas mãos do Sesc com cultura, arte e comida de boteco a partir da próxima semana. Do dia 12 de agosto em diante, o Sesc passa a operacionalizar a casa trazendo programação de happy hour para a esquina da Afonso Pena com a Orla Ferroviária.

O casarão histórico da cidade não foi mexido, apenas recebeu pequenos reparos de tinta e jardinagem e também atenção à parte elétrica. Nos últimos ajustes, o anexo do fundo que pertenceu durante anos à Abrasel está dando lugar ao cine cult, com capacidade de receber até 20 pessoas, a choperia e o laboratório de cerâmica para as artes. Ao ar livre, o espaço será tomado por mesas e cadeiras para quem for aproveitar o happy hour.

O horário de abertura será de terça a sábado, inicialmente, nos três períodos, com a opção do bar aberto no entardecer. O cardápio vai contar com pizzas, porções de batata frita, pastel de carne, isca de carne seca e as bebidas.

"É um espaço cultural, vamos ter às quartas um chorinho, às quintas, miscigenação de vários grupos e na sexta o happy hour vai variar entre o sertanejo e o rock", conta a diretora regional do Sesc, Regina Ferro.

A arena também vai receber intervenções culturais, como contações de histórias e teatro ao ar livre. Tombada, a a casa será destinada às galerias de arte. O espaço que reproduz com peças originais o quarto da artista Lídia Baís terá o acervo ampliado para o hall à frente da sala. O cinema também terá versão ao ar livre, com projeção na Orla Ferroviária.

A Morada dos Baís foi finalizada em 1918, histórico casarão, foi o primeiro sobrado da avenida Afonso Pena feito de alvenaria, com argamassa de saibro, cal e areia, coberto originalmente com telhas de ardósia, vindas da Itália, terra natal do dono, Bernando Franco Baís.

A ideia do Sesc, segundo a diretora Regina Ferro, é de trabalhar com três exposições itinerantes. Para a abertura, além do acervo de Lídia Baís, os "bugrinhos" de Conceição dos Bugres, comprados de um colecionador pelo Sesc e as obras do corumbaense Jorapimo vão estampar os ambientes da casa.

"O que a gene quer é que as pessoas possam até não saber a programação, mas sabem que tem coisa legal na Morada dos Baís, com música e comida regional", enfatiza Regina.

Na programação, a Morada dos Baís terá parte do que é proposto nas três principais frentes que o Sesc trabalha. Palco Giratório, Sesc Encena e Sonora Brasil, além de atrações específicas para lá. Dividido entre o Teatro Prosa e a Morada, a ideia inicial é de oferecer a grade toda gratuita.

Até o dia 22 de agosto, o Sesc já tem fechada todas as atrações, que incluem desde exibição de animação infantil, à apresentações de teatro de todo país, até shows do quarteto de jazz Urbem, da banda Black di Boá e até a feirinha Bocaiúva da moda criativa e design vai ocupar a Morada.

Conforme a direção regional do Sesc, na próxima segunda-feira, será publicado o edital para contratação de artistas a se apresentarem no casarão. Os projetos serão submetidos à curadoria e a ideia é de que o processo seja aberto pelo menos três vezes no ano. O contrato do Sesc com a Prefeitura para o uso da Morada é de um ano, podendo ser prorrogado.

 

Fonte: Campo Grande News