11/04/12 - Restaurantes migram para o "express"

Com a previsão de inauguração de pelo menos mais 113 novos shoppings em todo o Brasil nos próximos três anos, redes de restaurantes investem cada vez mais nas lojas da praça de alimentação. Menores, rentáveis e com baixo valor de abertura, os estabelecimentos express são uma tendência atual do mercado. Com tíquete médio superior a R$ 15,00, oferecem uma variedade cada vez maior de produtos, ampliando o público-alvo, que vai de estudantes a executivos.

Para Henrique Pamplona, diretor-geral da marca Domino's Brasil, o modelo express é fundamental em grandes cidades como a capital paulista. "São Paulo é um lugar onde shoppings formam marcas. Paulistas vão a shopping centers semanalmente. É programa de família, de amigos, de fim de semana. Então estarmos presentes nestes lugares é importante para a formação da marca", explica.

A rede de pizzas, que teve um faturamento de aproximadamente R$ 60 milhões em 2011, acaba de lançar um novo modelo de loja, voltado especificamente para praças de alimentação. O cardápio traz novidades como a fatia única de pizza, saladas, batata frita e filé de frango, mudando o foco das outras 39 lojas instaladas no Brasil, que são alavancadas pelo atendimento com delivery.

"As lojas convencionais são importantes para fomentar o delivery, vantagem competitiva da Domino's em todo o mundo, e podem ser abertas em qualquer capital. Temos crescido muito no norte e nordeste do País", conta Pamplona. Essa é a principal diferença com as lojas do modelo express, que agora buscam um público novo, atingindo até mesmo pessoas que ainda não conhecem a marca.

Além de poder atender um público maior, outra vantagem do modelo é que o investimento inicial para uma franquia Domino's Express é de R$ 400 mil, cerca de 33% a menos que uma loja de rua tradicional.

Outra rede que apostou no modelo de fast-food foi a churrascaria Montana Grill. Segundo a bandeira, ainda em 1997 foi inaugurada a primeira loja express e atualmente já são 113 unidades do tipo espalhadas pelo Brasil. "O cardápio das lojas Montana Express é abrangente e lucrativo, pois oferece produtos de grande aceitação por todas as faixas etárias a preços que atendem todas as classes sociais", comenta Júnior Cabrino, diretor do Grupo Montana Grill.

As unidades express e as churrascarias da marca apresentam proposta diferente: enquanto as primeiras são montadas onde há fluxo de pessoas, estando estrategicamente localizadas em praças de alimentação de shoppings ou em lojas de conveniência de postos de gasolina, as lojas maiores e tradicionais oferecem um ambiente completo de restaurante.

As churrascarias operam no sistema de rodízio, oferecendo cortes de carnes nobres e diversos tipos de saladas e molhos, além de bufê de pratos quentes, iguarias japonesas e adegas climatizadas. Já as lojas de shoppings apresentam pratos já prontos, com carnes, massas, beirutes e baguetes. "Certamente custa menos abrir uma franquia express, pois ela dispensa o serviço de garçons e a sofisticada estrutura de espaço, mobiliário e bufê", explica Cabrino.

 

Grupo internacional

Fundado em 1975 como um pequeno quiosque de comida rápida no Conjunto Nacional, na Avenida Paulista, em São Paulo, o restaurante Viena é hoje uma das maiores cadeias de alimentação do Brasil, com 107 unidades, todas próprias. Adquirido em 2007 pelo grupo International Meal Company (IMC), 47 destes restaurantes são do tipo express. "Focamos operacionalizar o conceito express nas praças de alimentação dos shopping centers de grande movimento, localizados próximos a centros empresariais, pelo alto fluxo de pessoas, sejam elas estudantes, donas de casa ou executivos, que buscam alimentação balanceada e rápida", diz Antônio Neves, diretor de Marketing e Operações da IMC.

A rede internacional tem atualmente mais de 200 restaurantes no Brasil, Caribe e México, e chega a ter receita líquida anual de R$ 750 milhões. Segundo a empresa, ela soma mais de 8.000 funcionários, e cerca de 2,2 milhões de consumidores são atendidos por mês em todos os restaurantes.

Em setembro de 2008, o grupo assumiu o controle dos restaurantes Frango Assado. Foi a terceira aquisição no Brasil da IMC, que já contava com a rede Viena e a RA Catering, líder de serviços de alimentação em aeroportos brasileiros. No comando da rede Frango Assado, a IMC implantou o modelo Frango Assado Express, que inaugurou sua primeira loja em dezembro de 2011 no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP).

Dando continuidade ao projeto de expansão do modelo express, neste mês foram inaugurados mais três estabelecimentos do mesmo tipo. As lojas ficam nos aeroportos de Congonhas e de Cumbica, em São Paulo, e no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, em Brasília.

Uma das novidades das novas lojas é que o cliente pode montar o seu próprio sanduíche, escolhendo pão, recheios, queijos, molhos, condimentos e outros produtos extras. Tal procedimento traz mais agilidade, item considerado essencial para os consumidores dos aeroportos que, na maioria das vezes, não têm um minuto a perder.

 

Fonte: MDCI