14/07/2015 - Mais de 50 ônibus farão linhas especiais da madrugada; todos os coletivos vão partir da Lapa (BA)

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

As linhas cobrem diversos bairros da cidade, desde a orla até o subúrbio, e vão funcionar de 0h às 4h, todos os dias

 

 

Esperar um ônibus vendo o dia amanhecer não deve fazer mais parte da rotina dos corujões que curtem festas até altas horas ou dos trabalhadores que dependem do transporte para voltar para casa, após a meia-noite. Desde a madrugada de hoje, 56 ônibus estão rodando em 15 linhas especiais para atender à demanda de 60 mil passageiros que, segundo a Secretaria Municipal da Mobilidade (Semob), precisam dos coletivos. A operação foi batizada de Corujão Salvador.

As linhas cobrem diversos bairros da cidade, desde a orla até o subúrbio, e vão funcionar de 0h às 4h, todos os dias. O número de ônibus que servirá cada linha ainda não foi divulgado.

 

Lapa

Todos os coletivos vão partir da Estação da Lapa, com intervalos entre 20 minutos e 1 hora. O tempo de viagem varia de acordo com o itinerário.

Segundo o prefeito ACM Neto, após a implantação do novo sistema, a frota, as linhas e o intervalo entre as partidas podem ser modificados. “Nós vamos avaliar a demanda. Se a gente entender que existe um número grande de passageiros, podemos ampliar as linhas e ônibus”, explicou. Os itinerários foram criados com base em estudos da Semob com base no embarque e desembarque, origem e destino dos passageiros.

De acordo com Fábio Mota, titular da Semob, os usuários vão poder acompanhar os ônibus por um aplicativo de celular e se programar para estar no ponto no momento em que o coletivo chegar. “Não vai ter que ficar de madrugada na rua esperando. Vai poder chegar junto com o ônibus”, contou.

Mota afirma que o Centro de Controle de Operações (CCO), que monitora todos os coletivos, facilitou a implantação do sistema de ônibus na madrugada. Os passageiros também vão poder usar o Bilhete Único – pagar o preço de uma passagem e trocar de coletivo no meio do itinerário –, que vai funcionar pelo período de duas horas.

 

PM diz que vai adaptar horário da Operação Gêmeos

A circulação dos ônibus de 0h às 4h custará aos consórcios operadores cerca de 50% a mais do que o serviço em horário regular, de acordo com a diretora técnica no Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Salvador (Setps), Angela Levita. Segundo ela, haverá contratações, mas, por enquanto, o trabalho será feito em escalas.

Para o diretor do Sindicato dos Rodoviários da Bahia, Daniel Mota, a categoria espera ser chamada para poder fazer sugestões. “Para nós, trabalhadores, aumentar a mão de obra é fundamental. A nossa grande preocupação é a segurança, porque o índice de violência que a gente tem vivenciado nos últimos tempos é extremamente alarmante”, comentou.

O prefeito ACM Neto disse que enviou ofício à Secretaria da Segurança Pública (SSP). “A gente tem a expectativa de que o governo do estado possa oferecer as condições para que transitem com segurança e tranquilidade pela cidade”, declarou.

Em nota, a Polícia Militar disse que a Operação Gêmeos vai adequar o horário dos plantões para atender à demanda. Dono do Bar Líder, Eduardo Garcia afirma que vai esperar como a medida será recebida antes de substituir a Kombi que leva funcionários pelo ônibus. “A questão da segurança é complicada. O policial teria que ficar dentro do ônibus”, defendeu.

 

Setores de hotelaria, bares e restaurantes celebram medida

Empresários do ramo de hotelaria, bares e restaurantes comemoraram o início da circulação de ônibus durante a madrugada em Salvador. Vice-presidente do Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares de Salvador e Litoral Norte (SHRBS), Silvio Pessoa conta que a medida era uma solicitação de mais de 30 anos do setor e acha que a iniciativa vai beneficiar cerca de 450 hotéis.

Já o diretor executivo da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes na Bahia (Abrasel), Luiz Henrique do Amaral, considera que os ônibus 24 horas vão dar mais tranquilidade aos seus associados. “As pessoas ficavam pela rua, encostadas nos bares, até as 4 horas”, cita.

 

Fonte: Correio da Bahia