12/05/2015 - Festival Brasil Sabor no Distrito Federal incentiva uso de produtos do Cerrado

CLIPPING - NOTÍCIAS DOS PRINCIPAIS VEÍCULOS DO PAÍS

 

Pequi, castanha de baru, cagaita, jatobá e buriti são alguns dos produtos regionais encontrados no menu de 26 das casas participantes

 

De 14 a 31 de maio acontece mais um Festival Gastronômico Brasil Sabor em todo o país. Em Brasília a 10ª edição do evento busca a valorização dos ingredientes típicos do Cerrado no intuito de estimular pequenos produtores locais. Dentre as casas participantes, 26 irão oferecer pratos que trazem produtos regionais no menu do Festival como pequi, castanha de baru, cagaita, jatobá e buriti, entre outros. "O Cerrado brasileiro é muito rico e oferece vários tipos de frutos comestíveis, embora alguns sejam ainda pouco consumidos. Por este motivo, incentivamos ao máximo que os restaurantes utilizassem ingredientes regionais nos pratos do Brasil Sabor", explica Rodrigo Freire, presidente da Abrasel DF.

O uso desses ingredientes do Cerrado ainda é escasso no dia-a-dia dos restaurantes em Brasília, mas com o incentivo do Brasil Sabor os cozinheiros da Capital puderam mostrar várias formas criativas de trabalhar estes insumos. A castanha de Baru foi a queridinha dos chefs, especialmente triturada e como crosta de carnes. Além dela, o pequi, doce de buriti, geleia de cagaita e a polpa de jatobá também ganharam usos culinários interessantes em pratos doces e salgados. "Ao inserir o Cerrado na pauta do principal festival gastronômico do país a Abrasel-DF demonstra o compromisso firmado com seus associados e contribui para a inserção dos pequenos produtores na economia local. Nesse contexto, o Slow Food Cerrado defende que os cozinheiros e chefs de cozinha são fundamentais para o movimento em defesa do alimento bom, limpo e justo", afirma Ana Paula Jacques, líder do Slow Food Cerrado.

O Cerrado é o segundo maior bioma da América do Sul, ocupando uma área de mais de 2 milhões de km² que corresponde a um quarto do território nacional. Reconhecido como a savana mais rica do mundo, possui uma grande diversidade de habitats e várias espécies de animais e plantas. Mais de 10 tipos de frutos comestíveis são regularmente consumidos pela população local e vendidos nos centros urbanos, enquanto outros ainda são pouco conhecidos e comercializados.

Saiba mais sobre alguns dos ingredientes do Cerrado utilizados nos pratos do 10º Festival Brasil Sabor em Brasília. Os produtos também serão vendidos durante a Feira Gastronômica Brasil Sabor, que vai acontecer nos dias 30 e 31 de maio no Parque da Cidade.

 

Pequi

Um dos frutos mais populares no Cerrado é o pequi com o seu sabor marcante e peculiar. Ele pode ser consumido cozido, puro ou misturado com arroz e frango. Da polpa também é possível extrair o azeite de pequi, óleo bastante utilizado para condimento e na fabricação de licores. O pequi é um dos frutos mais versáteis do Cerrado, e praticamente todas as suas partes são comestíveis, como a castanha que fica dentro do caroço do fruto e pode ser consumida in natura ou utilizada como ingrediente na preparação de pratos salgados, doces e pães.

 

Castanha de Baru

Outra castanha típica do Cerrado é a de baru, também conhecida como cumari, feijão-baru, cumbaru, imburana-brava, barujo, entre outras denominações. Com um gosto semelhante ao do amendoim, a castanha de baru é importante fonte de proteína, rica em vitaminas, minerais e outros nutrientes. O fruto do baruzeiro é conhecido como "viagra do Cerrado", apelido recebido pela sua fama de afrodisíaco. A iguaria possui valor culinário riquíssimo, podendo ser consumida como a tradicional castanha, em óleos e no preparo de pratos diversos, porém nunca crua. É bastante utilizada no preparo de receitas saudáveis e também pode ser ingrediente de molhos, saladas, bolos e paçocas.

 

Cagaita

A cagaita também é bastante consumida pela população do Cerrado, tanto a fruta ao natural como na forma de doces, geleias, sorvetes e sucos. A iguaria só requer uma atenção diferenciada pelo seu efeito laxante, responsável inclusive pelo seu nome popular e científico. O fruto vem da cagaiteira, árvore com casca grossa típica do bioma Cerrado e de copa frondosa coberta de folhas verdes brilhantes, que pode chegar a oito metros de altura.

 

Jatobá-do-Cerrado

O jatobá encontrado no Cerrado também é conhecido como jatobá-do-campo, jatobá-da-serra, jatobá-de-casca-fina e jutaí. A árvore pode alcançar até 9 metros de altura e produz frutos apreciados in natura por populações rurais. Suas flores se destacam na paisagem, sendo muitas vezes utilizadas para ornamentação de jardins e de vias públicas. A polpa do jatobá, principalmente na forma de farinha, é usada em diversas preparações, como para fazer mingau, biscoitos, pães e bolos. A polpa também é utilizada para a produção de geleias e licores. Por suas características nutricionais, a farinha de jatobá é um alimento rico em proteína, vitaminas, cálcio e potássio.

 

Buritis

O buriti é uma palmeira que pode ser encontrada em várias regiões brasileiras, embora seja mais frequente no Cerrado. Seu fruto é rico em vitamina A, B e C, fornece cálcio, ferro e proteínas. O buriti pode ser consumido ao natural ou transformado em doces, sucos, licores, vinhos e sobremesas. A fruta também fornece palmito comestível, embora seja pouco utilizado. O óleo da polpa de buriti pode ser usado para frituras, além de ter valor medicinal por seu uso como vermífugo, cicatrizante e energético natural.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa Abrasel Distrito Federal